Objeto de 24 mil anos no Piauí indica presença humana antes do que se pensava

Pesquisadores da Missão Franco-Brasileira de Arqueologia no Piauí descobriram uma ferramenta de pedra de 24 mil anos que pode mudar o que se pensava sobre quando os humanos modernos chegaram pela primeira vez à América do Sul. O achado está entre os 2,2 mil artefatos encontrados no Vale da Pedra Furada, um sítio arqueológico localizado no Parque Nacional da Serra da Capivara.

As descobertas foram registradas na revista acadêmica PLOS ONE em março, embora as escavações tenham ocorrido em 2016. A equipe internacional de autores trabalha já há 10 anos explorando dezenas de sítios arqueológicos no parque nordestino, segundo o site Ancient Origins.

A ferramenta de pedra encontrada no local mede 21 por 18,5 centímetros (cm) e tem 2,9 cm de espessura. Ela foi fabricada com um tipo de rocha chamada arenito siltoso. A matéria-prima é incomum se comparada aos demais artefatos encontrados, que são de quartzo ou quartzito.

Além disso, o objeto foi trabalhado com técnicas que eram até então desconhecidas nos sítios arqueológicos paleoamericanos. E a descoberta é um sinal de que houve ocupação humana na América do Sul antes do que se pensava, durante o Último Máximo Glacial, há aproximadamente 26 mil anos.

Ferramenta de pedra encontrada no local mede 21 por 18,5 centímetros (cm) e tem 2,9 cm de espessura (Foto: Eric Boëda et.al )
Ferramenta de pedra encontrada no local mede 21 por 18,5 centímetros (cm) e tem 2,9 cm de espessura (Foto: Eric Boëda et.al )

A nova informação contradiz a teoria mais aceita hoje em dia, de que os Homo Sapiens só chegaram ao continente sul-americano mais recentemente, durante o pós-glacial. Além do mais, o achado é um dos mais antigos provenientes de produções ancestrais na América do Sul.

De acordo com Eric Boëda, um dos líderes da pesquisa, a função da ferramenta ainda permanece enigmática. “Talvez seja um objeto de uso simples ou, mais provavelmente, um objeto com uma função simbólica. Isso explicaria, ao mesmo tempo, sua singularidade entre os conjuntos de ferramentas da camada arqueológica a que pertence, e o fato de não o termos encontrado em outras camadas de outros sítios”, analisa, em comunicado.

O pesquisador explica que as fabricações da região, durante o período geológico Holoceno, tinham normalmente como base rochas duras e resistentes, como basaltos, andesitos e dacitos. Ou ainda pedras metamórficas ou sedimentares. Mas apresentavam traços típicos de desgaste – o que não é o caso da ferramenta de pedra.

Escavações no sítio arqueológico do Vale da Pedra Furada, no Piauí  (Foto: Mario Pino)
Escavações no sítio arqueológico do Vale da Pedra Furada, no Piauí (Foto: Mario Pino)

O artefato é do período Pleistoceno, que antecede o Holoceno. Várias evidências de ocupações humanas dessa época estão no sítio arqueológico do Vale da Pedra Furada. As populações que viveram nesse tempo longínquo fabricavam um conjunto variado de ferramentas, o que indica que existiu uma cultura material rica por lá.

Fonte: Galileu

Scroll Up