Nuvens lenticulares são vistas na Antártida; entenda o que são

Nuvens que se parecem com um funil chamaram atenção da base polar Esperanza, da Argentina, na Antártida. Imagens foram divulgadas nesta quarta-feira (29) pelo Sistema Meteorológico Nacional do país. O fenômeno acontece entre 6 e 12 mil metros de altitude na presença de vento forte e revelo.

As nuvens, de forma geral, são formadas por gotículas de água em seu estado líquido e gelo que se encontram suspensas na atmosfera após terem se condensado.

No caso das nuvens registradas na imagem, elas são chamadas de lenticulares e não se movem, ou sejam, se formam e se transformam a partir de um mesmo ponto de origem – responsável pela aparência semelhante a um funil.

Nuvem lenticular na base Esperanza da Antártida (Foto: Serviço Meteorológico Nacional da Argentina)

Comum em regiões de cadeias montanhosas ou cordilheiras, as nuvens lenticulares estão associadas ao encontro do vento forte em altas altitudes. Desse modo, à medida que o ar encontra um obstáculo, no caso a cadeia montanhosa ou cordilheira, ele ascende essa formação geológica e se condensa -dando origem às nuvens.

Veja abaixo mais fotos das nuvens lenticulares observadas na Argentina. Fenômeno foi registrado na segunda-feira (27), mas foi divulgado apenas nesta quarta (29).

Nuvens lenticulares foram vistas na Argentina — Foto: Sistema Meteorológico Nacional da Argentina
Nuvens lenticulares foram vistas na Argentina (Foto: Sistema Meteorológico Nacional da Argentina)
Nuvens lenticulares foram vistas na Argentina — Foto: Sistema Meteorológico Nacional da Argentina
Nuvens lenticulares foram vistas na Argentina (Foto: Sistema Meteorológico Nacional da Argentina)

Fonte: G1

Scroll Up