Nova juíza da Suprema Corte saúda progresso dos EUA em igualdade racial

Ketanji Brown Jackson comemorou sua ascensão “da segregação até a Suprema Corte” durante um evento realizado na Casa Branca nesta sexta-feira para marcar a sua confirmação como primeira mulher negra nomeada para o mais alto cargo judicial do país.

Em suas primeiras declarações públicas desde que o Senado a confirmou no cargo, nesta quinta-feira, a juíza, 51, disse que a nomeação era “uma honra única na vida”.

“Na minha família, levou apenas uma geração para passar da segregação à Suprema Corte dos Estados Unidos”, disse no Jardim Sul a cerca de 150 convidados do presidente Joe Biden. “E é uma honra, uma honra única na vida, ter esta oportunidade de fazer parte do tribunal.”

Ketanji Jackson saiu da Casa Branca com Biden e a vice-presidente, Kamala Harris, entre aplausos da família da nova juíza, de atuais e ex-juízes da Suprema Corte, de funcionários do governo e de senadores que votaram nela.

A juíza agradeceu às “muitas pessoas” que a ajudaram em seu caminho, desde a família e amigos e o público americano até os funcionários da Casa Branca que participaram do “esforço hercúleo” para garantir que ela alcançasse seu objetivo.

“Foram necessários 232 anos e 115 nomeações prévias para uma mulher negra fosse nomeada para servir na Suprema Corte dos Estados Unidos, mas conseguimos, todos nós. E nossos filhos me dizem que agora veem, mais do que nunca, que aqui nos Estados Unidos tudo é possível.”

‘Momento de mudança real’

Ao apresentar sua primeira indicada ao tribunal, Biden afirmou que as próximas gerações serão “orgulhosas do que fizemos” ao elegermos Ketanji. “Isso vai levar luz a tantas mulheres jovens, tantos jovens negros, tantas minorias, isso é real”, disse o presidente democrata. “Olharemos para trás e veremos que este é um momento de mudança real na história dos Estados Unidos.”

Kamala Harris, que presidiu a audiência de confirmação, quebrou suas próprias barreiras como primeira mulher e a primeira negra e asiática americana a servir como vice-presidente.

“O presidente George Washington certa vez se referiu aos Estados Unidos como um grande experimento, uma nação fundada na crença, até então não comprovada, de que o povo – nós, o povo – poderia formar uma união mais perfeita”, disse Kamala. “E essa crença impulsionou a nossa nação durante gerações, e é essa crença que reafirmamos ontem com a confirmação da primeira mulher negra na Suprema Corte dos Estados Unidos”.

Fonte: Yahoo!