Nenhuma das 645 cidades do Estado de SP registra UTI Covid lotada pela 1ª vez desde abril de 2020

Pela primeira na pandemia, nenhum município do Estado de São Paulo atingiu o índice de 100% de ocupação das UTIs dedicadas à COVID-19. O marco histórico registrado neste sábado (21) é resultado do avanço na vacinação e das medidas de prevenção e enfrentamento ao novo coronavírus.

Em 30 de março de 2021, pico da segunda onda, chegou a 87 o número de cidades com ocupação integral dos leitos de Terapia Intensiva. Isto representa que, naquele contexto, 13% de todos os municípios de São Paulo estavam com a rede sobrecarregada. O dado é fruto do monitoramento do Censo COVID, realizado pelo Estado desde abril de 2020.

Hoje, há menos de 7,5 mil pessoas hospitalizadas com COVID-19. São 3.842 em UTI e 3.653 em enfermarias, totalizando 7.495 internados.

Este número chegou a ser quatro vezes maior no auge da segunda onda, ultrapassando 31 mil pacientes em leitos reservados para casos graves da doença. Naquele contexto, a taxa de ocupação de UTIs chegou a ultrapassar 92% no estado. Nesta data, é de 40,3% em todo o território paulista, e de 38,5% na Grande São Paulo.

No decorrer da pandemia, houve 4.209.421 casos, dos quais 3.929.437 já estão recuperados, incluindo 437.819 que foram internados e receberam alta hospitalar. Houve 144.185 óbitos.

O detalhamento dos dados da pandemia está disponível no site www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.

Fonte: Governo de SP

Scroll Up