União Europeia reabre fronteiras a 15 países e deixa Brasil e EUA de fora

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Os países da União Europeia (UE) aprovaram nesta terça-feira (30) a reabertura das fronteiras a partir de 1º de julho aos turistas de 15 países –moradores do Brasil, Estados Unidos, Turquia e Rússia, por enquanto, têm o acesso proibido.

Antes dessa mudança, só estavam autorizadas as viagens essenciais.

A lista dos autorizados, que será revisada a cada duas semanas, inclui Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, além da China, mas o gigante asiático, sob critérios de reciprocidade, informou o Conselho da UE em um comunicado.

Foram usados critérios de saúde. Os países de residência dos turistas, e não a sua nacionalidade, será o fator chave para determinar se eles poderão entrar ou não na União Europeia, de acordo com as autoridades.

Os 27 países que compõem o bloco não são obrigados legalmente a adotar a resolução, mas se não fizerem isso, correm risco de ter as suas fronteiras com outros países da Europa fechada -portanto, dificilmente algum país terá uma política diferente.

Fora da lista

Rússia, Brasil, Turquia e EUA estão entre os países onde a contenção do vírus é considerada pior que a média da União Europeia. Esses países terão que esperar uma revisão por ao menos mais duas semanas.

A medida visa dar apoio ao setor de viagens e aos destinos turísticos, particularmente os países do sul da Europa, que são os mais atingidos pela pandemia.

A lista precisava de uma maioria qualificada de países europeus para ser aprovada – ou seja, 15 países que representassem 65% da população.

Os países membros podem restringir a entrada de pessoas das 15 nações que foram liberadas.

Os critérios que a UE vai levar em conta são os seguintes:

  • Índice do número de novos casos de Covid-19 nos últimos 14 por número de habitantes deve ser perto do europeu;
  • Tendência de aceleração ou queda no 14 dias anteriores;
  • Resposta geral à Covid-19, levanto em conta as informações disponíveis, incluindo aspectos como testagem, vigilância, rastreamento de contato, contenção, tratamento e notificação, assim como a confiabilidade das informações e, se for necessário, a nota geral das regulações internacionais de saúde.

Viagens essenciais

Os moradores dos países que não estão na lista não podem entrar na Europa, mas há exceções. São elas:

  • Cidadãos europeus e seus familiares;
  • Residentes antigos na União Europeia e seus familiares;
  • Viajantes que têm necessidade essencial ou precisam cumprir uma atividade essencial.

Países europeus adotam políticas diferentes

Os esforços da UE para reabrir as fronteiras internas, especialmente entre os 26 países da área Schengen, que geralmente não têm nenhum controle, tem sido desigual. Moradores de algumas nações ainda têm acesso restrito a certos países.

A Grécia existe testes de Covid-19 para quem chega da França, Itália, Espanha e Holanda. Os visitantes precisam ficar em isolamento até que saiam os resultados desses testes.

A República Checa não aceita turistas de Portugal e da Suécia.

Os residentes do Reino Unido podem viajar a muitos dos países da UE, mas aqueles que não estiverem fazendo viagens essenciais precisam se isolar por duas semanas.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes