Tesouro de US$ 1 milhão é encontrado após anos de caçada e ao menos quatro mortes nos EUA

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Chegou ao fim nos Estados Unidos uma história de caça ao tesouro que já durava uma década, seduziu milhares de aventureiros e que se tornou mortal para, pelo menos, quatro pessoas.

Responsável por esconder um baú com pedras preciosas avaliado em mais de US$ 1 milhão (R$ 4,8 milhões) nas Montanhas Rochosas — que se estendem desde o Novo México, no sudoeste dos Estados Unidos, até a Columbia Britânica, no noroeste do Canadá –, o colecionador Forrest Fenn anunciou no sábado que o baú foi encontrado.

“Estava sob uma marquise na exuberante vegetação florestal das Montanhas Rochosas e não havia se mudado do local onde eu a escondi há mais de dez anos. Não conheço a pessoa que o encontrou, mas o poema em meu livro o levou ao local exato”, escreveu.

Ainda segundo Fenn, de 89 anos, o sortudo entrou em contato por telefone, não quis se identificar, mas provou o feito enviando uma foto do tesouro antes escondido. “Sinto-se meio alegre e meio triste porque a perseguição acabou”, admitiu ao jornal “Santa Fe New Mexican”.

Ao longo de vários anos, milhares de pessoas tentaram encontrar o famoso tesouro de ouro e joias que ele teria escondido numa localização secreta a mais de 1,5 mil metros de altitude. As nove pistas foram escritas pelo colecionador num poema de 24 versos, em seu livro de memórias, em 2010.

“Parabenizo as milhares de pessoas que participaram da busca e espero que continuem sendo atraídas pela promessa de outras descobertas”, escreveu Feen.

Mortes e desconfiança

Ao longo dos últimos dez anos, o tesouro de Forrest Fenn gerou desconfianças de pessoas que não acreditavam na história e que acreditavam que se tratava apenas de uma forma de vender livros. Muitos caçadores, porém, dedicaram anos de suas vidas na busca pelo prêmio escondido.

Ao menos quatro homens perderam a vida enquanto buscavam o tesouro.

No início de 2016, Randy Bilyey, de 54 anos, começou as buscas nas montanhas do Novo México. Seis meses depois de seu desaparecimento, as autoridades encontraram seus restos mortais nas águas do rio Grande.

O pastor Paris Wallace, de 52 anos também morreu durante uma expedição no Novo México em 2017. Ele se perdeu em uma região acidentada conhecida como Garganta do Rio Grande e, assim como aconteceu com Bilyeu, seu corpo foi encontrado em uma das margens do rio.

Também em 2017, Jeff Murphy, de 53, disse à família que realizaria uma pequena excursão para o Parque Nacional Yellowstone, no noroeste dos Estados Unidos, para subir à montanha Turkey Pen. A escalada levaria metade de um dia. Seu corpo foi encontrado no fundo de uma inclinação.

Eric Ashby, de 31 anos, também teve o corpo encontrado nas águas do rio Arkansas, no Colorado.

O tesouro

O suposto tesouro incluiria peças de ouro e rubis, oito esmeraldas, duas zafiras de Ceilán, diamantes, duas antigas pedras de jade chinesas e pulseiras de ouro pré-colombiano.

Fenn, um vendedor de arte e ex-piloto americano, garantia que as nove chaves para encontrá-lo estavam num poema de 24 versos publicado em seu livro de memórias: Thrill of the chase (“O Prazer da Caçada”, em tradução livre).

Na breve sinopse do livro, é possível ler “sobre a notável história real de Forrest Fenn e de um tesouro escondido, oculto em algum lugar das montanhas ao norte de Santa Fé”. Mas por que Fenn decidiu fazer isso? “Para que as pessoas se levantem de seus sofás”, foi a curta explicação do colecionador a um blog que publica informações sobre seu tesouro.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes