Protestos nos EUA por morte de George Floyd voltam a registrar tumultos e confrontos com a polícia

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Manifestantes voltaram na tarde deste sábado (30) a ocupar ruas de cidades em várias partes dos Estados Unidos em protestos contra o racismo após a morte do ex-segurança George Floyd durante uma abordagem policial em Minneapolis.

Manifestantes incendeiam caçamba de lixo em Washington, perto da Casa Branca, neste sábado (30) novo dia de protestos nos EUA — Foto: Evan Vucci/AP Photo
Manifestantes incendeiam caçamba de lixo em Washington, perto da Casa Branca, neste sábado (30) novo dia de protestos nos EUA (Fotos: Reprodução)

A maior parte dos atos ocorre pacificamente, porém, houve novos episódios de confronto em cidades como Los Angeles, Nova York, Chicago e Filadélfia. Durante a noite, tumultos e conflitos entre manifestantes e policiais deixaram ao menos dois mortos, e centenas de pessoas foram presas.

Por causa da violência, o presidente Donald Trump disse que poderia enviar militares para conter o vandalismo em Minneapolis, cidade onde as manifestações estão mais intensas.

Policial monitora manifestação em Los Angeles após veículo policial ser incendiado neste sábado (30) — Foto: Ringo H.W. Chiu/AP Photo
Policial monitora manifestação em Los Angeles após veículo policial ser incendiado neste sábado (30) (Foto: Reprodução)

Nesta tarde, carros policiais foram incendiados em cidades como Filadélfia e Los Angeles. Em Chicago, um grupo entrou em confronto com a polícia que tentava conter o acesso dos manifestantes a prédios da cidade.

Por causa dos tumultos, governadores de estados como Geórgia, Kentucky, Ohio e Textas pediram reforço da Guarda Nacional. O Pentágono, inclusive, informou que está em alerta caso precise intervir nas manifestações em Minneapolis, cidade onde Floyd Morreu e que passou por atos violentos ao longo da semana.

Em cidades como Los Angeles, Portland, Cincinnati e Atlanta — que registrou grandes distúrbios na noite de sexta —, as prefeituras decretaram toque de recolher.

Manifestantes protestam contra morte de George Floyd em Minneapolis neste sábado (30) — Foto: John Minchillo/AP Photo
Manifestantes protestam contra morte de George Floyd em Minneapolis neste sábado (30) (Foto: Reprodução)
Manifestantes são presos por bloquearem o trânsito em Nova York durante manifestações nos EUA neste sábado (30) contra morte de George Floyd — Foto: Mary Altaffer/AP Photo
Manifestantes são presos por bloquearem o trânsito em Nova York durante manifestações neste sábado (30) contra morte de George Floyd (Foto: Reprodução)

Manifestantes são presos por bloquearem o trânsito em Nova York durante manifestações nos EUA neste sábado (30) contra morte de George Floyd — Foto: Mary Altaffer/AP Photo

Veja abaixo um resumo das manifestações nos EUA neste sábado (30)

  • Minneapolis, cidade onde os protestos começaram,voltou a ter violência após o início do toque de recolher
  • Policiais e manifestantes entraram em confronto em Los Angeles, na Califórnia
  • Uma repórter foi ferida em um conflito entre manifestantes e um grupo que jogava pedras nos manifestantes do protesto em Columbia, na Carolina do Sul
  • Houve prisões e tumulto também em Nova York e em Chicago
  • Em Filadélfia, manifestantes incendiaram uma viatura policial na área central da cidade
  • A prefeita de Atlanta decretou toque de recolher nesta noite após brigas e confrontos. Outras cidades também terão a medida
  • Na capital Washington, manifestantes fizeram barricadas perto da Casa Branca

Morte de George Floyd

George Floyd morreu em 25 de maio, depois de ficar por 8 minutos e 46 segundos com o pescoço preso pelo joelho de um policial branco Derek Chauvin em Minneapolis, no estado de Minnesota. Na sexta-feira (29), Chauvin foi detido e acusado de homicídio. Documentos obtidos pela rede americana CNN mostram que a fiança do policial foi estabelecida em US$ 500 mil (cerca de R$ 2,7 milhões).

Segundo a acusação contra Chauvin, ele manteve seu joelho sobre o pescoço de Floyd durante os 8 minutos e 46 segundos, sendo que nos últimos 2 minutos e 53 segundos o homem, negro, já estava inconsciente. A autópsia informou, entretanto, que não houve “nenhum achado físico que apoie o diagnóstico de asfixia traumática ou estrangulamento”.

No entanto, o efeito conjunto de George Floyd ter sido asfixiado mais suas condições de saúde pré-existentes e a possibilidade de haver substâncias intoxicantes em seu corpo “provavelmente contribuíram para sua morte”, de acordo com a acusação.

Histórico

Os EUA registraram outros casos de mortes de pessoas negras causadas por policiais ou durante custódia da polícia nos últimos anos:

  • Em 2015, Freddie Gray, de 25 anos, morreu sob custódia da polícia em Baltimore, no estado de Maryland. A morte dele foi depois qualificada como homicídio, mas o caso acabou sendo arquivado.
  • Em 2014, Michael Brown, de 18 anos, morreu depois de ser baleado por um policial em Ferguson, no Missouri.
  • Em 2012, Trayvon Martin, de 17 anos, também morreu depois de ser baleado por um policial em Sanford, na Flórida.
  • Em 2009, Oscar Grant, de 22 anos, morreu depois de ser também baleado pela polícia em Oakland, na Califórnia, onde também houve protestos pela morte de Floyd.

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes