Múmia do Homem de Gelo revela novos dados sobre bactérias estomacais

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A múmia do Homem do Gelo encontrada perfeitamente preservada em uma geleira do Tirol, vista na Eurac (Foto: Divulgação/Eurac)

O cadáver mumificado de 5.300 anos de idade, conhecido como Ötzi ou Homem de Gelo, está proporcionando aos cientistas novas pistas sobre as infecções estomacais.

Os cientistas do Instituto das Múmias e do Homem do Gelo, localizado no norte da Itália, extraíram a bactéria Helicobacter pylori das entranhas da múmia e realizaram uma análise de seu DNA. Ela revelou que as bactérias encontradas no Homem do Gelo pertenciam a uma cepa nunca vista nos seres humanos de hoje.

“Ele [o Homem do Gelo] era portador de uma cepa mais pura, uma cepa não híbrida; podemos dizer também que a história da genética das populações com Helicobacter na Europa é bem diferente do que se pensava anteriormente”, disse Albert Zink, presidente do EURAC.

Os cientistas esperam realizar estudos posteriores para obter mais informações sobre a evolução e o surgimento das bactérias.

Pesquisador da Eurac examina a múmia do Homem do Gelo (Foto: Divulgação/Eurac)
Pesquisador da Eurac examina a múmia do Homem do Gelo (Foto: Divulgação/Eurac)

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes