Morrem no Peru pessoas que beberam licor para prevenir coronavírus

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Ao menos 16 pessoas morreram em uma região andina do Peru após beberem um licor, aparentemente adulterado, com o propósito de evitar o contágio pelo novo coronavírus, noticiou nesta sexta-feira (3) a agência estatal Andina.

“Estes pacientes deram entrada no hospital Lircay em 28 de março por consumir álcool para evitar a propagação e o contágio pelo coronavírus, uma ideia errônea que custou a vida a 16 pessoas”, informou a Andina, citando funcionários de saúde da região de Huancavelica, 400 km a sudeste de Lima.

A Andina reportou que agentes da polícia “apreenderam bebidas alcoólicas de procedência duvidosa” que intoxicaram pessoas de oito localidades de Huancavelica, a região com maior taxa de pobreza do Peru.

“A bebida foi vendida em um estabelecimento de reputação duvidosa, o local sofreu intervenção e os sintomas apresentados pelos falecidos eram de intoxicação”, acrescentou a agência, citando o governo regional.

Segundo um veículo de imprensa de Lima, os intoxicados eram de diferentes povoados e beberam “álcool adulterado” quando assistiram a um velório dias atrás.

“Todos deram entrada em centros de saúde apresentando os mesmos sintomas: vômitos, convulsões, respiração lenta, pele azulada. Outros familiares se encontram internados em estado crítico”, informou o jornal “El Comercio” em sua edição digital.

No Peru vigora desde 16 de março um isolamento domiciliar em nível nacional e toque de recolher noturno para tentar frear o avanço da pandemia, que contaminou até agora 1.595 pessoas no país, com 61 mortes, segundo balanço oficial.

A Andina reportou que as autoridades de Huancavelica decidiram “redobrar as ações para o cumprimento do isolamento obrigatório. Também será sancionada a venda de álcool a vendedores e compradores”.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes