Assassino em série que aterrorizou os Estados Unidos se declara culpado

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Joseph James DeAngelo, que aterrorizou a Califórnia, nos Estado Unidos, com estupros sádicos e assassinatos a sangue frio durante uma década, declarou-se culpado pelos crimes nesta segunda-feira e passará o restante da vida na prisão.

“O assassino do Golden State (como é conhecida a Califórnia)” é acusado do homicídio de 13 pessoas e do sequestro e estupro de dezenas de mulheres entre 1975 e 1986.

“Culpado”, disse Joseph James DeAngelo, 74, com a voz fraca e rouca, ao juiz Michael Bowman, que lhe pediu uma resposta sobre cada acusaçao que era descrita por promotores de vários condados do estado. “Admito” e “Sim” foram suas outras respostas.

O réu usava um protetor facial de acrílico, devido ao coronavírus, no tribunal instalado em um salão de uma universidade de Sacramento, também devido à pandemia. A corte declarou um intervalo depois que DeAngelo admitiu culpa nas nove primeiras acusações.

A promotora Amy Holliday disse que DeAngelo e sua defesa haviam concordado em se declarar culpados de 13 acusações de homicídio qualificado e o estado estava preparado para eliminar o pedido de pena de morte, em troca de 11 penas de prisão perpétua.

“Os familiares das vítimas de assassinato esperaram durante décadas por justiça para seus entes queridos, as vítimas de agressão sexual esperaram décadas por justiça”, disse Amy. “Resolver o caso neste momento permitiria às vítimas restantes e suas famílias ouvir o réu admitir que cometeu estes atos e crimes.”

Com estupros sádicos e assassinatos que aterrorizaram a Califórnia entre 1975 e 1986, DeAngelo, ex-policial e veterano de guerra, também foi chamado de “East Area Rapist” e “Original Nightstalker”.

Passaram-se 32 anos até a sua captura, em 2018, depois que investigadores compararam o DNA colhido na cena de um crime com perfis disponíveis em sites genealógicos que analisam amostras genéticas de pessoas curiosas sobre a sua ascendência.

Explorando árvores genealógicas, os investigadores se depararam com DeAngelo através de familiares distantes. Esta pista os levou à casa de um homem mais velho que havia vivido no subúrbio de Sacramento, área de muitos ataques. Após comparar uma amostra ao DNA encontrado no lixo, DeAngelo foi preso.

“Cada vez que ele escapou, silenciosamente, durante a noite, deixou comunidades aterrorizadas por anos”, assinalou o promotor adjunto de Sacramento, Thienvu Ho.

1975-1986

DeAngelo, demitido em 1979 do departamento de polícia de Auburn, Califórnia, por roubar um martelo e uma lata de repelente para cães, trabalhou até 2017 como mecânico de caminhões para uma rede de supermercados de Citrus Heights, povoado localizado a 32 km de Sacramento, onde viveu por mais de 20 anos.

Inicialmente, DeAngelo foi acusado apenas pelo homicídio, em 1978, de Brian e Katie Maggiore, casal morto a tiros em Rancho Cordova, no subúrbio de Sacramento, enquanto passeava com seu cão. Naquele momento, ele não se declarou culpado. Mas desde então, autoridades dizem que DeAngelo é ligado por seu DNA ou otras provas a mais de 50 estupros e 150 roubos.

Muitos destes crimes prescreveram, mas Amy Holliday informou que, sob o acordo, o réu havia concordado em admitir todos os crimes atribuídos a ele.

Os ataques dos quais De Angelo é acusado tiveram início em 1975, inicialmente na área de Sacramento, centro da Califórnia, antes de se estenderem por todo o estado. A onda de crimes terminou em 1986, com o estupro e assassinato de uma jovem de 18 anos.

Participaram da audiência parentes das vítimas e sobreviventes, segundo o ator e comediante Patton Oswalt, marido de Michelle McNamara, autora de um livro que reacendeu o interesse público no caso e que morreu antes do seu lançamento.

Os promotores descreveram com detalhes algumas cenas de estupro, que DeAngelo ouviu com o olhar perdido, até que o juiz se dirigiu a ele para que confessasse os crimes.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes