Argentina coloca aviões presidenciais à venda e Macri passa a utilizar somente voos comerciais

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O presidente argentino Mauricio Macri anunciou esta semana que o país irá aposentar a sua frota de aviões presidenciais. A medida faz parte de um programa de redução de gastos públicos.

Conhecido como Tango 1, o Boing 757 que transportava o chefe de estado da Argentina até então irá passar por uma vistoria e será colocado à venda. A aeronave é orçada em mais de US$ 20 milhões (cerca de R$ 80 milhões).

Menores, os aviões Tango 2 e 3, dois Fokker F-28, também serão comercializados. Somente o Tango 10, um Learjet 60, continuará sob administração da presidência.

O Boing 757 presidencial argentino ficou famoso nos anos 90, ainda na gestão de Carlos Menem. Na época, em 1992, o governo do país contava com a frota presidencial mais moderna da América Latina.

Entretanto, com a piora da situação econômica nos últimos 16 anos, alguns setores da sociedade passaram a questionar a necessidade de uma frota especialmente para o presidente. Nesta mesma discussão, a antecessora de Macri, Cristina Kirchner, foi bastante criticada em 2014 depois de adquirir um Boeing 737-500 com 21 anos de uso – a aeronave em questão deverá ser repassada à viação Aerolineas Argentinas.

Para endossar a sua decisão, Macri publicou nas redes sociais uma foto de sua passagem para Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial. Foi o primeiro voo comercial de um presidente argentino em mais de dez anos.

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes