21 de maio, 2024

Últimas:

Mulheres e mães: EaD facilita entrada e permanência no ensino superior

Anúncios

Conhecido como Mês das Mães, maio é o período em que mais se discute sobre maternidade no Brasil. Cada vez mais, vemos e ouvimos relatos de mães exaustas que precisam conciliar inúmeras atividades e responsabilidades, em uma jornada tripla que envolve cuidados com os filhos, afazeres domésticos e trabalho. Então, como incluir uma quarta jornada nesta equação, no caso das mães que também querem estudar?

Dados:

Anúncios

  • 59,6% dos alunos de graduação são do sexo feminino (Enade, 2022).
  • Dos 3,42 milhões de estudantes que abandonaram as universidades públicas e privadas no Brasil em 2022, 41% são mulheres.
  • 11 milhões de mulheres cuidam dos filhos sem parceiros no Brasil (IBGE). Destas, 12% (em torno de 1,3 milhão) são universitárias, sendo um quarto delas negras.

Além do acúmulo de funções, muitas mães que gostariam de cursar o ensino superior sofrem ainda com a falta de rede de apoio para deixar os filhos pequenos, tornando inviável que cursem uma graduação presencial. Assim, a educação a distância (EaD) torna-se uma forma de facilitar a entrada e a permanência dessas mães na graduação.

Luguslavia Silva é mãe de um menino de dois anos e se mudou recentemente para São Paulo, em busca de uma vida com mais oportunidades. “Comecei a estudar por um futuro melhor. Se não fosse pela EaD, não seria possível, devido à falta de rede de apoio e pela logística ser inviável. Hoje estou no último semestre do curso de Pedagogia e faço estágio-escola, com oportunidade de efetivação”, celebra a aluna da UNIASSELVI.

Anúncios

A jornada, agora quádrupla, é vivenciada por diversas mães universitárias como Luguslavia e, muitas vezes, sem um efetivo suporte, elas precisam renunciar aos estudos por muito tempo. Foi o que aconteceu com a soteropolitana Jucenice Corcino, 48 anos, mulher negra, nordestina e migrante.

Hoje moradora de Osasco, na Grande São Paulo, ela precisou adiar o sonho da graduação. “Sempre sonhei em estudar, mas me casei cedo, tive um filho e me divorciei. Cheguei a começar alguns cursos, mas, ou por questões de trabalho, ou por questões financeiras, não consegui seguir”, relembra.

Foi apenas em 2018, com o “filho criado” e por meio da educação a distância (EaD) da UniCesumar que Jucenice conseguiu voltar à graduação. Primeiro optou pelo curso de Letras Português e Inglês. Porém, ao enfrentar dificuldades com a língua estrangeira, decidiu mudar. Assim, começou um bacharelado em Psicopedagogia e, em seguida, uma licenciatura em Pedagogia.

Atualmente, Jucenice, que agora possui uma rede de apoio, é estagiária na Prefeitura de São Paulo e está quase concluindo suas graduações. “Com a ajuda do meu companheiro fui pagando os cursos e estudando. Houve momentos de desânimo e desenvolvi pânico de sair de casa por causa da pandemia. Acabei adiando alguns estágios obrigatórios, mas não desisti. Hoje me sinto realizada, sou negra, nordestina, com quase 50 anos e incentivo as pessoas a estudarem pois, assim como tudo na vida, as coisas nem sempre seguem uma linha reta”.

Assim como Luguslávia e Jucenice, que conseguiram seus primeiros estágios na área, a maioria dos alunos e egressos da Vitru Educação, mantenedora das marcas UNIASSELVI e UniCesumar, obteve melhorias em relação à empregabilidade, o que contribui no processo de conquista por independência financeira.

Dados de pesquisa inédita no setor, conduzida pela Nomads com mais de 40 mil alunos e ex-alunos aponta que 84% dos graduandos experimentaram melhorias na carreira após o início do curso. Dentre os impactos positivos, 17,5% informaram que tiveram aumento salarial, 16% relataram promoção ou mudança de cargo e 15,5% obtiveram o primeiro emprego ou estágio na área.

A pesquisa ainda verificou uma relação entre a formação EaD e a melhoria da empregabilidade e remuneração dos egressos da modalidade, com 80,5% dos ex-alunos atualmente empregados.

Talvez te interesse

Últimas

Anúncios O judô do Sesi-SP segue fazendo história nos tatames e terá pela primeira vez um representante na principal competição...

Categorias