MP apresenta denúncia por fraude na gestão de Aidar no São Paulo

O Ministério Público do Estado de São Paulo apresentou denúncia contra oito pessoas sob acusação de fraudes na gestão de Carlos Miguel Aidar, que presidiu o São Paulo entre 2014 e 2015. Entre os citados, estão Leonardo Serafim, ex-diretor jurídico do clube e nome influente da atual gestão, e Douglas Schwartzmann, antigo diretor de marketing e hoje secretário-geral são-paulino.

A informação da denúncia foi publicada inicialmente pelo UOL. A reportagem teve acesso ao processo, que investiga três situações específicas da gestão Aidar: a contratação do zagueiro Iago Maidana e o repasse de comissões supostamente ilegais nos contratos com a Under Armour (patrocínio) e com o escritório de advocacia de José Roberto Cortez.

A reportagem do ge procurou o São Paulo, que optou por não se manifestar. Leonardo Serafim, em contato telefônico, afirmou que prefere dar a própria versão diretamente no processo.

– Não posso me manifestar ainda porque não fui notificado pelo teor da denúncia. E no primeiro momento preciso fazê-lo no processo. Após fazer a minha manifestação no processo, volto a falar com vocês se tiverem interesse jornalístico no assunto – declarou Serafim.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Douglas Schwartzmann garantiu que provará sua inocência.

– Desconheço esse caso e, quando for comunicado oficialmente e tomar conhecimento, provarei a minha inocência. Com certeza não serei processado, porque a denúncia no meu nome será derrubada – disse.

Carlos Miguel Aidar se manifestou por intermédio do advogado José Luís Oliveira Lima, que o representa no processo.

– Em primeiro lugar, a defesa registra a sua indignação com mais um vazamento seletivo em um procedimento sigiloso. Vamos requerer novamente a investigação sobre essa circunstância. No tocante a acusação, ela nada mais é do que uma peça de ficção criada pelo Ministério Público, que não é capaz de narrar um único fato criminoso em face do presidente Carlos Miguel Aidar – assinam os advogados José Luís Oliveira Lima e Fernanda Melo Bueno..

– Depois de mais de cinco anos de investigação conduzida pelo MP, absolutamente nada foi demonstrado contra o Presidente Carlos Miguel Aidar, que sempre pautou a sua vida pela correção e ética.

De acordo com a denúncia, o ex-presidente do São Paulo teria lesado os cofres do clube por irregularidades na transferência de Iago Maidana.

Aidar ainda teria causado prejuízo patrimonial ao São Paulo pelas negociações de contrato de patrocínio com a Under Armour e com o escritório de José Roberto Cortez. Nos dois casos, são investigados repasses de comissões para Aidar e Cinira Maturana, namorada do presidente.

Sobre membros da atual gestão, Leonardo Serafim foi denunciado por furto qualificado, já que teria participado de crime patrimonial e lavagem de capitais enquanto diretor jurídico da gestão Aidar. O documento diz que ele teria recebido R$ 70 mil de comissões.

Já Douglas Schwartzmann, com suspeita de irregularidades como diretor de marketing são-paulino, também teria participado em uma operação de lavagem de capital de R$ 100 mil, de acordo com o documento. A investigação sobre esse caso ainda segue, embora o MP considere ter alcançado “parte significante, sendo o que basta para imputação.”

Fonte: G1

Scroll Up