Morte do ícone rebelde James Dean completa 60 anos

Há 60 anos, Hollywood perdia o “Rebelde da América”, James Dean, vítima de um acidente automobilístico em Los Angeles, na Califórnia.

Foi em 30 de setembro de 1955 que o astro, de apenas 24 anos, se dirigia para uma corrida, acompanhado do mecânico alemão Rolf Wütherich, pilotando seu “Pequeno Bastardo” (Little Bastard em inglês), um Porsche 550 Spyder prateado, entre as estradas 46 e 41, próximo à Cholame, quando colidiu de frente com o automóvel do estudante Donald Turnupseed.

Nada ocorreu com Donald. Entretanto, Wütherich ficou gravemente ferido, enquanto para Dean a batida foi fatal. O astro sofreu séria lesão na coluna e hemorragias internas. Os jornais da época revelaram que duas horas antes ele tinha sido multado por excesso de velocidade.

Quando Juventude Transviada, seu penúltimo trabalho nos cinemas, foi lançado, dias após sua morte, a comoção foi geral e as sessões se esgotaram em minutos. Mais tarde, Dean recebeu duas indicações póstumas ao Oscar, em 1956, por Vidas Amargas (marcando a primeira indicação póstuma na história da premiação), e em 1957 por Assim Caminha A Humanidade, ambas na categoria melhor ator. O Globo de Ouro também prestou suas homenagens ao astro, que ganhou um prêmio em 1956, como melhor ator, e em 1957, pelo título de “ator favorito do público”.

Primeiros Passos

Nascido James Byron Dean, era o filho único do protético Wilton Dean e da dona de casa Mildred. Se interessou pela arte logo pequeno, aos 8 anos já fazia aulas de sapateado e violino, mas acabou se tornando um jovem introspectivo depois da morte de sua mãe, vítima de câncer, em 1940.

Sem condições de cuidar do filho, Wilton o enviou para morar com sua irmã e o marido dela. O rapaz foi então morar numa fazenda, onde aprendeu diversos ofícios, desde ordenhar vacas e cuidar dos animais, até dirigir tratores. Aos 14 anos, entrou para o grupo de teatro. Além da atuação, ele também nutria grande paixão por carros e velocidade, ganhando sua primeira motocicleta da clássica marca Triumph logo aos 17 anos.

Essa época foi conturbada para Dean. Na biografia Boulevard of Broken Dreams: The Life, Times, and Legend of James Dean, lançada em 1994 por Paul Alexander, foi revelado que ele teria se envolvido sexualmente com um pastor local. Já um relato, surgido em 2011, sugeria que o líder religioso teria abusado sexualmente dele por dois anos após a morte de sua mãe.

Em 1949, Dean voltou à Califórnia para morar com o pai e a madrasta e se matriculou no Santa Monica College, em um curso para descobrir sua vocação, mas logo decidiu abandonar tudo e partir para Nova York para batalhar por sua carreira de ator. Para se manter na Big Apple, trabalhou como garçom e até cobrador de ônibus. Foi na mesma época que ele conheceu Jane Deacy, que mais tarde tornar-se-ia sua agente.

Ícone da juventude inconformada

Em seu filme mais famoso, Juventude Transviada, ele viveu o problemático Jim Stark, cujo mal comportamento obriga os pais a mudarem de cidade. Mesmo em outro ambiente, Stark conseguiu se envolver em uma encrenca com o líder de uma gangue do colégio.

Depois de sua morte, em 1956, ele já tinha se consagrado como um mito da cultura pop e foi aclamado pelo trabalho em Assim Caminha A Humanidade, de George Stevens, seu último trabalho nas telonas, que contou com Elizabeth Taylor e Rock Hudson no elenco. O filme foi considerado, pela revista Times, um dos maiores manifestos pela igualdade racial nos Estados Unidos.

James Dean conseguiu uma façanha alcançada por poucos, ser reconhecido pela beleza e pelo talento ao mesmo tempo. O galã foi porta-voz de uma juventude pós-guerra, que se dividia entre a inquietação e a revolta, ao mesmo tempo que sofria com a angústia do futuro incerto. Seu passado difícil nos leva a acreditar que o comportamento do ator não era apenas pose midiática, mas sim fruto de seus próprios fantasmas interiores.

Muitos questionam se o astro conseguiria manter sua carreira na linha se não tivesse sofrido o fatal acidente. Na época de sua “explosão”, ele teve que dividir as atenções com Marlon Brando e Cary Grant, hoje profissionais consagrados. Mas é inegável que Dean viveu a vida como queria.

Durante uma de suas aparições, ele declarou: “Se tivesse 100 anos para viver, ainda assim não teria tempo para fazer tudo o que quero fazer”. Mesmo com apenas 24 anos, ele fez o suficiente para marcar uma geração inteira.

Confira trailer de Juventude Transviada:

https://youtu.be/UN9JiwkollM

Fonte: Yahoo!

Scroll Up