Morte de bebê de 4 meses é investigada em MS; ‘Enterramos sem saber o que aconteceu’, diz pai

A Polícia Civil de Três Lagoas (MS), a 338 quilômetros de Campo Grande, investiga a causa da morte da pequena Thamires Vitória Silva dos Santos, que tinha quatro meses de idade. A família alega que a bebê foi encontrada sem batimentos cardíacos e com sangue na boca na hora em seria amamentada, de madrugada, mas não foram feitos exames adequados para identificar a causa da morte.

O pai da criança, Ronaldo dos Santos, relatou que a mãe foi até a bebê para amamentar durante a madrugada de sexta-feira (28), por volta das 3h.

“A minha filha acordava durante a madrugada para mamar, mas naquela noite isso não aconteceu, ela não chorou. Thamires sempre foi uma bebê alegre e saudável, ninguém sabe o que aconteceu”, destacou.

Desesperados, os pais tentaram reanimá-la, acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e pediram ajuda aos vizinhos. Thamires foi levada para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) mais próxima, onde foi constatado a morte.

Thamires Vitória Silva dos Santos faleceu na madrugada de sexta-feira (28) (Foto: Arquivo pessoal/ Reprodução)

Causa da morte ‘indeterminada’

O titular da 3ª delegacia de polícia civil de Três Lagoas, Orlando Vicente Sacchi, informou que foi aberto um inquérito para investigar o que de fato ocasionou na morte da criança. De acordo com o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que examinou o corpo da vítima, não foram identificados sinais de violência.

“O pai alega que o SVO não tinha equipamentos necessários para identificar o que de fato aconteceu, por isso estamos solicitando um laudo com as causas da morte. Esse é um caso delicado e com muitas dúvidas, a polícia vai encaminhar um ofício para o Judiciário pedindo a exumação do cadáver, só assim poderemos saber o que de fato aconteceu. Para isso a família da criança também precisa autorizar”, esclareceu.

Em entrevista, Ronaldo explicou que o corpo da criança foi encaminhado ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que administrado pela prefeitura da cidade, mas devido a falta de equipamentos, não foi realizada a necropsia ou outros exames para investigar a causa da morte. Devido a isso, na certidão de óbito da criança consta ‘causa indeterminada’. A família registrou boletim de ocorrência e aguarda atualizações do caso.

“Não falaram nada com a gente sobre o estado de saúde da minha filha, depois apenas informaram que a Thamires estava sem vida. Enterramos sem saber o que aconteceu, não fizeram nenhum exame. Queremos respostas!”, relatou.

Em nota, a Prefeitura de Três Lagoas informou que aguarda os laudos periciais que indicarão a causa da morte da bebê e que providências serão tomadas após o resultado.

Conforme a assessoria de imprensa da prefeitura, a mãe está recebendo apoio do município e existe “o maior interesse” em entender o motivo da morte da criança.

Veja a íntegra da nota da prefeitura:

“Salientamos a nossa solidariedade e pesar por essa partida precoce. Desde que foi informada, a Secretaria Municipal de Saúde também busca que o caso seja apurado o mais rápido possível.

Neste momento, estamos aguardando os laudos periciais que indicarão a causa da morte. Somente após isso poderemos tomar qualquer providência. Salientamos o nosso empenho para que isso seja apurado com urgência.

Quaisquer outras informações que tivermos, vamos nos pronunciar com a mais profunda clareza, pois o trabalho de toda a equipe da Secretaria de Saúde é para o bem-estar e preservação da vida. Reforçamos nossa solidariedade à família.”

Fonte: G1