Moradores deixam suas casas após incêndio florestal no estado do Colorado, nos EUA

Milhares de pessoas receberam um chamado de evacuação nesta quinta-feira (30), devido ao rápido avanço de incêndios florestais no Colorado, nos Estados Unidos, uma região afetada por uma seca histórica.

Torres de eletricidade derrubadas por fortes ventos provocaram pequenos incêndios, que ganharam corpo na paisagem ressecada do condado de Boulder.

Estruturas de prédios foram atingidas por incêndio florestal no município de Superior, EUA. (Foto: Reprodução)

Os 20 mil habitantes da cidade de Louisville, junto com mais 13 mil moradores da cidade de Superior, receberam o chamado de evacuação. O Serviço Nacional de Meteorologia informou que se trata de uma situação “que está colocando vidas em risco”.

Um veículo da polícia passa na estrada depois que incêndios florestais movidos pelos vento causaram ordens de evacuação, perto de Boulder, Colorado, nos EUA. 30/12/2021 — Foto: Kevin Mohatt/Reuters
Veículo da polícia passa na estrada depois que incêndios florestais movidos pelos vento causaram ordens de evacuação, perto de Boulder, Colorado, nos EUA. (Foto: Reprodução)

Ventos de 160 km/h foram registrados em vários locais, espalhando as chamas e dificultando o esforço dos bombeiros. Estruturas de prédios também foram atingidas.

“Orações para as milhares de famílias evacuadas pelos incêndios em Superior e Boulder”, escreveu no Twitter o governador do Colorado, Jared Polis. “Ventos rápidos estão espalhando as chamas rapidamente”, acrescentou.

Seca histórica e mudanças climáticas

Como boa parte do oeste dos Estados Unidos, o Colorado atravessou anos de seca que deixaram a área ressecada e vulnerável aos incêndios florestais.

Embora as chamas sejam parte natural do ciclo climático, ajudando a limpar a vegetação, sua escala e intensidade estão aumentando.

Cientistas alertam que as mudanças climáticas, majoritariamente impulsionadas por atividades humanas, como a queima indiscriminada de combustíveis fósseis, estão alterando os padrões meteorológicos.

Isto prolonga as secas em várias áreas e provoca tempestades incomuns fora de época em outras regiões, um fenômeno esperado à medida que as temperaturas em todo o mundo continuam aumentando.

Daniel Swain, meteorologista da Universidade da Califórnia, tuitou que era “difícil de acreditar” que estes incêndios estivessem ocorrendo em dezembro, quando não costumam ocorrer este tipo de chamas.

“Mas se pegarmos um outono quente e seco, com apenas 2,5 cm de neve até agora na estação, e acrescentarmos uma tempestade de vento extrema (de mais de 160 km/h)… O resultado são incêndios extremamente rápidos e perigosos”, explicou.

Fonte: Yahoo!