México pede indenização de U$10 bi de fabricantes de armas dos EUA

O México processou vários fabricantes de armas dos Estados Unidos em um tribunal federal nesta quarta-feira, acusando-os de práticas de negócio negligentes que levaram ao tráfico de armas ilegais, as quais provocaram mortes no México.

O processo alega que unidades da Smith & Wesson, Barrett Firearms, Colt’s Manufacturing Company, Glock Inc, Sturm, Ruger & Co Inc e outras sabiam que suas práticas de negócio levaram ao tráfico de armas ilegais no México.

As empresas não responderam de imediato a pedidos de comentário.

O México registrou taxas de homicídio recordes nos últimos anos, provocadas em parte por armas dos EUA, uma violação das leis de posse de armas mexicanas mais rígidas.

O processo foi aberto no Tribunal do Distrito de Massachusetts. O México disse que o local é apropriado porque os acusados fazem negócios na área.

O México quer uma indenização por danos estimados em até 10 bilhões de dólares, disseram autoridades mexicanas em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira.

Falando em uma cerimônia pública, o ministro das Relações Exteriores mexicano, Marcelo Ebrard, disse que seu governo quer que os fabricantes de armas encerrem de imediato as práticas que causaram mortes em seu país.

Ele disse acreditar que o governo norte-americano, que não é mencionado no processo, está disposto a trabalhar com o México para reprimir o tráfico de armas.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up