México diz que EUA devem ser ‘corresponsáveis’ na solução para migração na América Central

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, declarou nesta sexta-feira que os Estados Unidos devem ser “corresponsáveis” na busca por uma solução conjunta para o problema da migração irregular a partir da América Central, que tem como base a pobreza.

“Os Estados Unidos, protagonistas do fenômeno migratório, devem, consequentemente, ser corresponsáveis por dar ao mesmo uma solução, mudando sua política migratória”, declarou o presidente mexicano no final de uma reunião com o colega de El Salvador, Nayib Bukele.

Washington também deve ajudar a “combater as condições que obrigam milhões a deixar seus locais de residência”, enfatizou López Obrador. A solução para o problema da migração deve fazer parte de um “esforço conjunto” no qual, além dos Estados Unidos, devem estar envolvidos o México e os três países centro-americanos de maior migração, que são Guatemala, El Salvador e Honduras, considerou López Obrador.

Os desafios atuais, segundo o presidente mexicano, estão relacionados à luta contra a pobreza, desigualdade, desemprego e marginalização, entre “outros infortúnios”.

Após a visita a San Salvador, López Obrador chegou a Tegucigalpa nesta tarde para discutir o tema migratório com a presidente de Honduras, Xiomara Castro.

Plano Conjunto

O presidente de El Salvador, por sua vez, expressou seu apoio à oferta mexicana de um plano conjunto. “Apoiamos a proposta do México aos Estados Unidos para fazer um plano conjunto em que todos aportemos de acordo com nossas economias para solucionar um problema que, no fim, é de todos”, enfatizou.

O governante salvadorenho considerou necessário que “experiências bem-sucedidas” que são promovidas para desencorajar a migração sejam ampliadas e abranjam a área onde há mais migração para os Estados Unidos.

Procedente da Guatemala e como parte de um giro pela América Central e o Caribe, López Obrador chegou por volta do meio-dia ao aeroporto de San Salvador, para uma visita de poucas horas.

Fonte: Yahoo!