‘Meu coração dói por ele’: as reações da família à morte do menino que ficou preso em poço no Marrocos

A morte do menino marroquino Rayan Awram, de 5 anos, preso durante cinco dias no fundo de um poço de 32 metros de profundidade no Marrocos, colocou o país de luto e sensibilizou a população local e de outros países.

O menino foi retirado do poço neste sábado (5), mas após o resgate foi constatado que a criança estava morta. O drama humano e os cinco dias de esforços ininterruptos foram observados pelo mundo todo.

Membros da família do menino foram vistos soluçando perto do local do acidente após a confirmação da morte. “Meu coração dói por ele” disse a tia de Rayan, Atiqua Awram.

O próprio rei do Marrocos comunicou oficialmente o final trágico. “Após o acidente trágico que custou a vida do menino Rayan Oram, Sua Majestade, o rei Mohamed VI, telefonou para os pais da criança”, informou o gabinete real do Marrocos.

Os pais de Rayan foram vistos recebendo o telefonema do rei enviando suas condolências.

Pais do menino Rayan falam com o rei do Marrocos após saberem que seu filho não resistiu e morreu após cair em poço (Foto: Reprodução)

A data do funeral ainda não foi definida, mas de acordo com a tradição muçulmana deve acontecer rapidamente. Também não há um relatório oficial sobre a autópsia do corpo do menino.

“Epílogo trágico (…). Tristeza e comoção em Marrocos (…), algo que despertou em todo o mundo os valores da humanidade”, afirmou neste domingo a imprensa local.

Os pais do menino e centenas de moradores da região aguardavam perto do poço pelo fim do resgate. Nas redes sociais, a hashtag #SaveRayan chegou a ser uma das mais acessadas.

Milhares de pessoas foram até o local mostrar solidariedade e acampar ali, apesar do frio gelado da região montanhosa do Rif, a cerca de 700 metros de altitude, na pequena cidade de Tamorot, a 100 quilômetros de Chefchaouen, no norte do país.

O trabalho dos socorristas levou quatro dias e envolvia o risco de um deslizamento de terra.

O poço tinha apenas 45 centímetros de largura no topo e afunilava à medida que descia 32 metros até o fundo, onde Rayan estava preso, impossibilitando socorristas de descerem.

Vista da vila de Ighrane, no norte do Marrocos, onde menino Rayan caiu em poço e ficou preso por 5 dias — Foto: Mosa'ab Elshamy/Ap Photo
Vista da vila de Ighrane, no norte do Marrocos, onde menino Rayan caiu em poço e ficou preso por 5 dias (Foto: Reprodução)

Repercussões

Desde o anúncio de sua morte, no sábado à noite, as mensagens de solidariedade chegam de todos os cantos do mundo.

O papa Francisco elogiou o povo marroquino por se unir para tentar resgatar o menino e disse estar triste pelos esforços dos socorristas não terem sido bem-sucedidos. “As pessoas se uniram, como um todo, para salvar Rayan, trabalharam juntas para salvar uma criança”, disse o pontífice durante sua bênção semanal na Praça de São Pedro.

“Quero dizer à família do pequeno Rayan e ao povo marroquino que compartilhamos de sua dor”, escreveu no Facebook o presidente francês Emmanuel Macron.

“A coragem de Rayan permanecerá em nossas memórias e continuará nos inspirando”, escreveu no Twitter o meio de campo argelino do AC Milan, Ismael Bennacer, junto a um desenho de um menino erguido ao céu por um balão.

Resgate de menino em poço no Marrocos (Foto: g1 / Élcio Horiuchi)

Fonte: G1