Marinho explica decisão e se despede do Santos

A trajetória de Marinho com a camisa do Santos já faz parte do passado. Nesta sexta-feira, o atacante se despediu do clube com uma mensagem de agradecimento ao Peixe e aos torcedores alvinegros.

Reforço do Flamengo, Marinho recordou da sua chegada ao Santos e falou também da negociação com o clube carioca

– Fica minha gratidão por tudo que vivi aqui dentro nesses quase três anos, um lugar que fui bem acolhido, bem recebido por todos, que criei uma identidade no clube. Momento de despedida sempre é ruim, ainda mais quando você tem identificação com clube e torcedor. Mas a gente entende que há momentos na vida que têm de tomar decisões. Uma oportunidade que apareceu que foi bom para o Santos e para mim. Em comum acordo a gente achou que é hora de seguir nosso caminho, um torcendo pelo outro. Fica aqui meu carinho, admiração e respeito pelo clube. Minha casa tem sempre um cantinho a mais para o Santos, vai continuar e ficar. É vida que segue.

Marinho em campo pelo Santos — Foto: Ivan Storti/SantosFC
Marinho em campo pelo Santos (Foto: Ivan Storti/SantosFC)

A transferência de Marinho para o Flamengo foi acertada em US$ 1,3 milhão (R$ 7 milhões). O atacante abateu uma dívida antiga do Santos e abriu mão de seu último salário no clube alvinegro para ser jogador do atual vice-campeão da Libertadores.

Com a camisa santista, Marinho fez 113 jogos e marcou 41 gols. O momento de maior destaque dentro de campo foi na temporada de 2020, quando foi eleito o Rei da América por causa da campanha alvinegra na Libertadores – o time dirigido por Cuca na época ficou com o vice-campeonato continental.

– Principal momento foi quando cheguei. Independentemente do que você conquista e busca, o que mais me moveu foi voltar para o clube. Saí em 2007, menino, e voltei adulto. A maior lembrança é quando estava abrindo a porta do CT novamente, chegando… Vou sair com isso na minha mente, com tudo o que consegui fazer dentro de campo, sempre com dedicação e coração na ponta da chuteira. Mais um menino da Vila dentro de campo, sendo jogador e torcedor.

– O Santos mudou minha história, meu patamar, mudou tudo na minha vida. É um clube que eu terei gratidão pelo resto da minha vida. Cheguei menino e saí homem sendo respeitado e conhecido no Brasil e fora também. Só tenho gratidão mesmo – completou.

Fonte: G1