Liminar permite servidor da educação não retomar trabalho presencial em Ourinhos

A retomada das aulas presenciais em Ourinhos (SP) ganhou nesta semana mais um capítulo na polêmica entre servidores e prefeitura. Uma liminar da Justiça permite que servidores da educação e professores escolham não retornar às aulas presenciais na cidade.

Essa nova polêmica começou assim que a prefeitura determinou a retomada das aulas presenciais na cidade, no último dia 7 de junho. Na ocasião, o Sindicato dos Servidores Municipais entrou com mandado de segurança recorrendo dessa determinação e a Justiça acatou, em decisão liminar.

Consultada pela reportagem, a Prefeitura de Ourinhos informou que, como a decisão é recente, o município ainda não foi notificado. Por isso, ainda não há posicionamento das medidas a serem adotadas, como um eventual recurso.

Na decisão que permite a escolha aos servidores entre voltar ou não às aulas presenciais, a Justiça também determinou que não haja prejuízo ao atendimento online dos alunos e que o ensino remoto seja mantido.

As aulas presenciais em Ourinhos foram retomadas com limitação de 35% da capacidade de alunos por sala, mas segundo a prefeitura nem mesmo esse índice tem sido atingido. Atualmente, a frequência média de alunos é de 33% nas 45 unidades escolares do município.

Para os alunos que estão matriculados no período da manhã, as aulas presenciais são às segundas e terças-feiras, no mesmo período. Já para os alunos da tarde, as aulas acontecem às quartas e quintas-feiras. Os demais dias, para os dois períodos, serão destinados para aulas remotas e atividades impressas.

Fonte: G1

Scroll Up