Libertados na Turquia intelectuais condenados por tentativa de golpe contra Erdogan

A Justiça da Turquia determinou nesta segunda-feira (4) a libertação de dois intelectuais – uma mulher e um homem conhecidos no país –, presos por envolvimento na tentativa de golpe de estado contra o presidente Recep Tayyip Erdogan em 2016. O governo turco considerava que eles “colaboraram com terrorismo” ao participarem dos movimentos daquele ano.

Os escritores e jornalistas Ahmet Altan (foto), de 69 anos, e Nazli Ilicak, de 74, saíram da prisão nesta segunda, informaram os correspondentes da agência France Presse.

Escritora e jornalista Nazli Ilicak comemora libertação na Turquia nesta segunda-feira (4) — Foto: Yasin Akgul/AFP
Escritora e jornalista Nazli Ilicak comemora libertação na Turquia nesta segunda-feira (4) (Fotos: Reprodução)

Ao deixar a prisão para mulheres de Bakirkoy, em Istambul, Ilicak não conteve as lágrimas e foi recebida entre abraços por pessoas próximas.

Ahmet Altan foi libertado num posto de gasolina perto da prisão de Silivri, nas redondezas de Istambul, onde era aguardado por familiares.

“Desde o início, não há nada. Não há prova única. Como esse crime seria possível e por que alguém queria que eu cometesse uma coisa dessas?”, disse Altan.

Acusação de terrorismo

Os dois intelectuais foram condenados em 2018 à prisão perpétua por participação na tentativa do golpe por suposta assistência a organização terrorista. A condenação foi alterada em julho passado a penas respectivas de prisão de dez anos e meio e oito anos e nove meses.

Para as ONGs, o caso de Altan e Ilicak é característico da deterioração dos direitos humanos na Turquia após o golpe de Estado frustrado de 2016 contra o presidente Recep Tayyip Erdogan, que iniciou expurgos maciços que afetaram diretamente a imprensa e os círculos intelectuais.

Altan e Ilicak foram detidos nos meses que se seguiram ao golpe e já passaram mais de três anos atrás das grades.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up