Leila Pereira vai lançar candidatura à presidência do Palmeiras

Leila Pereira concorrerá pela situação na eleição presidencial do Palmeiras em novembro e planeja anunciar a candidatura na próxima segunda-feira.

Os conselheiros no clube já começaram a ser informados por mensagens de um jantar em que a patrocinadora confirmará a presença no pleito para substituir Maurício Galiotte.

Leila Pereira, conselheira do Palmeiras — Foto: Reprodução / Instagram
Leila Pereira, conselheira do Palmeiras (Foto: Reprodução / Instagram)

Ainda não há uma indicação sobre qual será a chapa, que precisa ter quatro nomes para vice-presidência. Na gestão de Galiotte, Paulo Buosi, Alexandre Zanotta, José Caliari e Décio Perin são os atuais vices.

Leila sempre foi colocada como o nome para concorrer com apoio da atual gestão. Ainda que a conselheira e patrocinadora já tivesse até afirmado que desejava ser escolhida pelo grupo para disputar a sucessão, só a partir de segunda sua candidata se tornará oficial.

Em um projeto de rápida ascensão no clube, Leila se transformou em força política do Verdão e acumulou nos últimos anos vitórias em pautas defendidas pela sua base no Conselho Deliberativo, como a sua primeira candidatura ao Conselho após denúncias sobre o prazo de associação, o aumento do mandato presidencial para três anos e o reconhecimento dos investimentos da Crefisa em contratações como empréstimos.

Ainda está indefinido quem a enfrentará na eleição. Saverio Orlandi, diretor de futebol na gestão de Affonso Della Monica e ex-membro do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), tenta articular candidatura com a ala da oposição. Luiz Pastore (MDB), primeiro suplente do Senado Federal pelo Espírito Santo, é outra possibilidade discutida.

O nome de Pastore foi indicação dos ex-presidentes Mustafá Contursi e Arnaldo Tirone, mas não se mostrou unânime dentro dos grupos que formam a oposição. Genaro Marino, ex-vice de Galiotte e ligado a Paulo Nobre, disputou o último pleito, mas já decidiu que não se candidatará novamente.

Entre tantas indefinições, o conselheiro Paulo Jussio, empresário de 40 anos, se apresenta como terceira via. Ex-diretor nas gestões de Paulo Nobre e Maurício Galiotte, ele está no Conselho Deliberativo desde 2013 e é o único que afirma neste momento que irá concorrer. Ainda não há uma composição de outros integrantes da chapa.

O processo eleitoral do Palmeiras exige o cumprimento de algumas etapas. A primeira delas é o registro das chapas e a votação no filtro do Conselho. Somente as candidaturas aprovadas por 15% do Órgão – cerca de 42 conselheiros – poderão participar da Assembleia de sócios, que definirá no mês de novembro o novo presidente do Verdão.

Fonte: G1

Scroll Up