21 abril, 2024

Últimas:

Justiça mantém apreensão de tigres em fazenda no interior de SP

Anúncios

A decisão da segunda Vara Cível de Garça (SP) sobre a apreensão de três tigres criados em uma fazenda em Álvaro de Carvalho (SP) foi mantida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

A decisão, publicada pelo TJ neste domingo (12), nega o pedido de reconhecimento da guarda dos animais, que são considerados exóticos pela legislação brasileira.

Anúncios

Um dos tigres criados em fazendo de Álvaro de Carvalho  — Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação
Um dos tigres criados em fazendo de Álvaro de Carvalho (Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação)

Os animais estão em posse de Jorge Alves de Lima Filho, ex-caçador que morou na África por cerca de 20 anos, entre as décadas de 1940 e 1960. Ele também fez caçadas na Índia. Na fazenda em Álvaro de Carvalho também são criados leões.

A defesa de Jorge afirma que já recorreu da decisão do TJ-SP e os animais só devem ser apreendidos quando o caso transitar em julgado. Para os advogados, o posicionamento dos desembargadores é inconstitucional.

Anúncios

Leões também são criados na propriedade em Álvaro de Carvalho  — Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação
Leões também são criados na propriedade em Álvaro de Carvalho (Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação)

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), “a reprodução de felinos exóticos no Brasil é proibida, devendo o controle populacional ser realizado por meio de vasectomia”.

Contudo, conforme informações do processo, Jorge manteve na mesma área macho e fêmea de tigres de bengala, o que levou ao nascimento de três filhotes. Ele tem autorização apenas para atuar na categoria “Mantenedor da Fauna Silvestre”.

Conforme a Justiça, o mantenedor é reincidente na reprodução de animais exóticos e na introdução desse tipo de espécime no estado de SP “sem parecer técnico oficial favorável e licença expedida pela autoridade competente”.

Fazenda de Jorge Alves de Lima Filho, ex-caçador, em Álvaro de Carvalho — Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação
Fazenda de Jorge Alves de Lima Filho, ex-caçador, em Álvaro de Carvalho (Foto: Fazenda Kirongozi / Divulgação)

Negativa

O desembargador Marcelo Martins Berthe, relator do recurso apresentado por Jorge contra decisão da Justiça de Garça, disse que “não há como afastar a ocorrência da infração ou admitir o sustentado pelo particular no sentido de a reprodução ter ocorrido por falha humana”.

Além dele, também participaram da decisão os desembargadores Torres de Carvalho e Ruy Alberto Leme Cavalheiro.

Tigres e outros animais exóticos seguem na propriedade em Álvaro de Carvalho — Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação
Tigres e outros animais exóticos seguem na propriedade em Álvaro de Carvalho (Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação)

Conforme o entendimento do relator, “não há que se falar que não era do conhecimento do particular a proibição, tendo em vista que o próprio relata que solicitou alteração da finalidade do empreendimento de mantenedor para conservacionista”.

Decisão de primeira instância foi reproduzida pelo relato, onde consta que “a reprodução irresponsável de animais silvestres exóticos, ou seja, que não integram o bioma brasileiro, causa graves problemas ambientes e socioeconômicos, uma vez que a manutenção desses animais possui custo alto, implicando em situações de abandono e maus-tratos, motivo pelo qual a manutenção dos três animais, nascidos por reprodução ilegal, na posse do autor coloca em risco o meio ambiente equilibrado e a população que vive nos arredores”.

Outro tigre de bengala em Álvaro de Carvalho — Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação
Outro tigre de bengala em Álvaro de Carvalho (Foto: Fazenda Kirongozi/Divulgação)

Fonte: G1

Últimas

Botucatu: Polícia Militar prende homem com armas, munições e drogas no Parque Marajoara

21/04/2024

Anúncios Na última sexta-feira, dia 19, por volta das 21h uma operação da Polícia Militar no...

Categorias