Justiça dos EUA inocenta 2 condenados por morte de Malcolm X depois de 55 anos

A Justiça dos Estados Unidos inocentou nesta quinta-feira (18) dois homens condenados 55 anos atrás pela morte de Malcolm X, líder de um movimento negro.

Malcolm X, grande ativista da década de 1960, morreu diante de centenas de pessoas enquanto se preparava para discursar em Nova York, em fevereiro de 1965. O assassino, Mujahid Abdul Halim, foi preso no local.

Duas semanas depois, foram presos também Muhammed Aziz (foto) e Khalil Islam — que não tinham relação com o assassinato. Halim confessou o crime e mesmo assim os dois homens inocentes foram condenados à prisão perpétua.

Aziz e Islam chegaram a ser soltos nos anos 1980, mas a batalha pela absolvição formal continuou desde então. Islam morreu em 2009 e não pode ver a sentença sendo anulada.

Malcolm X — Foto: Iehoshua Iahueh/Arquivo pessoal
Malcolm X (Foto: Iehoshua Iahueh/Arquivo pessoal)

“Isso que nos trouxe ao tribunal hoje jamais poderia ter ocorrido. Sou um homem de 83 anos vítima do sistema de justiça criminal”, disse Aziz após a decisão desta quinta.

Malcolm X se tornou proeminente como a voz primeiro de um grupo islâmico, até que passou a falar pela igualdade racial nos EUA. O nome dele foi bastante relembrado nos recentes protestos contra o racismo após a morte de George Floyd, em 2020.

Muhammad Aziz sorri após ser inocentado da morte de Malcolm X nesta quinta-feira (18) (Foto: Reprodução)

Fonte: Yahoo!

Scroll Up