Justiça condena funcionários de berçário em SC que colocavam crianças em caixas fechadas com ‘monstro’

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

A Justiça de Santa Catarina condenou duas professoras e três auxiliares de uma pré-escola de Fraiburgo, no Oeste, por terem praticado tortura psicológica como forma de castigo contra até 22 duas crianças de berçário. A condenação ocorreu em 19 de fevereiro e foi divulgada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que é o titular da ação, na quinta-feira (11). A decisão é passível de recurso.

Segundo a denúncia, as crianças que choravam ou não agiam da forma como ordenavam as professoras eram colocadas em uma caixa de papelão contendo um boneco com uma máscara aterrorizante de monstro. Os buracos da caixa e a abertura eram fechados com pano ou abas. Os alunos estavam nos berçários I e II, que abriga crianças de 3 meses até 2 anos.

Segundo o MPSC, as vítimas eram colocadas em um “intenso sofrimento mental”, já que mesmo os que não eram colocados dentro da caixa presenciavam as cenas, ouviam o choro e o desespero das vítimas.

“As vítimas, que eram mantidas dentro da caixa por tempo suficiente para ficarem atemorizadas, reagiam chorando impulsiva e incontrolavelmente diante da pressão psicológica a que eram submetidas”, informou o órgão.

O nome da instituição de ensino não foi divulgado para preservar a identidade dos envolvidos. O caso está em segredo de Justiça.

A diretora da entidade também foi condenada devido à sua omissão. A pena aplicada a cada uma das condenadas foi de dois anos de detenção, em regime aberto. Elas ficaram sujeitas a perda do cargo, função ou emprego público e a interdição para o seu exercício pelo dobro da pena aplicada.

Fonte: G1- Foto: Ilustrativa

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes