Justiça bloqueia bens da Famesp e do Estado para viabilizar leitos hospitalares em Bauru

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Ação de cumprimento de sentença ajuizada pela Promotoria de Justiça de Saúde Pública de Bauru levou ao bloqueio de mais de R$ 8 milhões do Estado de São Paulo e da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), totalizando R$ 17.710.991,40. Conforme o pedido do MPSP, o montante será usado no atendimento a pacientes que se encontram nas UPAs e no Pronto Socorro Central aguardando vaga para internação.

A ação foi proposta após o anúncio, em novembro, de que o Hospital das Clínicas de Bauru encerraria suas atividades, contrariando afirmação feita dias antes pelo governador do Estado, João Doria. A notícia representava ainda o descumprimento de uma decisão judicial que havia determinado, entre outras obrigações, que o Estado fornecesse dez leitos de enfermaria no Hospital das Clínicas de Bauru, mantendo-os até o término da pandemia ou outra alternativa real e efetiva em igual número de leitos.

Já a Famesp deveria providenciar o trabalho de instalação e adequação dos dez respiradores para funcionamento dos dez leitos de UTI no Hospital das Clínicas, ficando ainda encarregada de contratar todos os profissionais de saúde e auxiliares, medicamentos e demais insumos para o funcionamento dos aparelhos e leitos.

A sentença aponta que o Estado não se manifestou a respeito nem comprovou o cumprimento da obrigação. Já a Famesp usou argumentos evasivos que “configuram verdadeira afronta à ordem judicial proferida neste incidente no intuito de dar cumprimento ao decidido nos autos principais”.

Notícias Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes