Jovem que mobilizou mais de 170 pessoas a doarem sangue morre no litoral de SP: ‘Lutou bravamente’

A jovem de São Vicente, no litoral de São Paulo, que havia conseguido mobilizar mais de 170 pessoas para doarem sangue, após ela descobrir um câncer, morreu, aos 20 anos, depois de uma longa batalha contra a doença. Isabelle Pereira havia recebido diagnóstico de linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer que se origina no sistema linfático.

“Ela lutou bravamente para viver, falou para a mãe dela que não queria morrer. Meu Deus, como ela lutou! E nós tínhamos muita fé. Está doendo demais, a mãe dela está com o coração despedaçado”, diz a autônoma Kátia Lúcia, de 34 anos, prima da jovem.

Fotos mostram o antes e depois de Isabella ser diagnosticada com câncer — Foto: Arquivo Pessoal
Fotos mostram o antes e depois de Isabella ser diagnosticada com câncer (Foto: Arquivo Pessoal)

O linfoma ocorre quando os linfócitos (glóbulos brancos) – responsáveis por combater as doenças no corpo humano – passam a apresentar defeito genético e começam a se reproduzir de maneira descontrolada, causando o câncer.

Isabelle começou a apresentar os primeiros sintomas da doença em abril de 2020. Ela procurou atendimento médico e ficou internada em Cubatão (SP) por 13 dias. Durante esse tempo, teve que retirar água do pulmão, devido a um derrame pleural (acúmulo excessivo de líquido no espaço entre a pleura visceral e a pleura parietal), e fez biópsia para analisar se tinha alguma doença mais séria.

Na sequência, ela ainda teve que realizar diversos exames para chegar ao diagnóstico de linfoma de Hodgkin. Depois da confirmação, chegou a realizar uma micro cirurgia para colocar um cateter perto do coração, e iniciou as quimioterapias a cada 15 dias.

Isabella durante o tratamento, quando cabelo ainda estava curto  — Foto: Arquivo Pessoal
Isabella durante o tratamento, quando cabelo ainda estava curto (Foto: Arquivo Pessoal)

Em meados de outubro de 2020, ela começou a ter outras complicações da doença e, após algumas idas e vindas ao hospital, foi feita uma tomografia que apontou que o tumor progrediu e estava comprimindo o mediastino. Ela foi levada às pressas para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral.

Durante o tratamento, Isabelle precisou receber transfusão de sangue. Diante disso, uma prima dela publicou nas redes sociais sobre a necessidade da jovem, contando, também, um pouco de sua luta contra o câncer. Os pedidos de ajuda rapidamente se multiplicaram entre compartilhamentos de conhecidos e internautas que viram as postagens. Mais de 170 pessoas se mobilizaram rapidamente e doaram sangue em seu nome.

Em entrevista ao g1 durante o tratamento, a jovem chegou a relatar a esperança que mantinha em se curar e realizar todos os sonhos. De acordo com a prima de Isabelle, após a jovem relatar à reportagem a luta contra o câncer, ela ainda teve muitas idas e vindas de internações no hospital. “Mesmo assim, nunca desistiu de lutar”, diz Kátia.

Isabelle tinha muita esperança de se curar de câncer — Foto: Reprodução/Facebook
Isabelle tinha muita esperança de se curar de câncer (Foto: Reprodução/Facebook)

Nos últimos dias, em tratamento em um hospital particular de Santos, a jovem teve uma piora no quadro de saúde e precisou ser encaminha para UTI e entubada, mas acabou não resistindo e morreu na última quinta-feira (23).

Nas redes sociais, centenas de pessoas que acompanhavam a luta da jovem e suas postagens se comoveram com sua morte. No perfil de Isabelle, dezenas de pessoas prestaram homenagens à garota e condolências a sua família.

“Ela sempre será nossa princesa guerreira. Só queríamos a cura dela, mas Deus a recolheu. De toda forma, ela ensinou muito para a gente com sua luta e é eterna no coração de toda a família”, finaliza a prima.

Jovem após raspar o cabelo, o que, segundo ela, foi libertador no seu processo de tratamento — Foto: Arquivo Pessoal
Jovem após raspar o cabelo, o que, segundo ela, foi libertador no seu processo de tratamento (Foto: Arquivo Pessoal)

Esperança

Isabelle sempre fazia postagens em sua rede social destacando a esperança de vencer a batalha contra o câncer. Após sua morte, amigos e internautas relembraram e compartilharam um post da jovem em sua memória, feito há cerca de um ano. Leia abaixo na íntegra:

“O que te falta? Reclamar ou agradecer? Queria muito que meus problemas fossem solucionados apenas reclamando da vida que levo, que nem todos sabem o que é, devem imaginar, mas sentir, só apenas nós mesmos. Te falta saúde? Te falta dinheiro? Te falta alguém? Te falta afeto? É que reclamar de barriga cheia é o que a gente mais sabe fazer, do que se ajoelhar e agradecer pelo dia, pela saúde, pelo que tem e pelo que comer.

Não te falta nada? Tá com saúde? Tem pernas? Corre atrás e procure soluções e não mais problemas. Aqui estou eu, graças a Deus, destruída com mais uma químio (guerra), lutando comigo mesma para viver. Parece ser um simples soro, mas não é. Dói, te machuca, acaba com você por dentro, você sente mil e uma dores, passa dias achando que não terá dias bons, mas eles vem sim. Primeiro vem a tempestade, mas depois vem a calmaria, aquela que vem somente dele: Deus. Dói, mas passa (sic).”

Postagem de jovem feita há cerca de um ano foi relembrada e já soma mais de 700 compartilhamentos nas redes sociais — Foto: Reprodução/Facebook
Postagem de jovem feita há cerca de um ano foi relembrada e já soma mais de 700 compartilhamentos nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Fonte: G1

Scroll Up