21 fevereiro, 2024

Últimas:

‘Joãos’ da natureza: saiba por que várias aves brasileiras levam este nome

Da mesma forma que o nome “João” é comum entre as pessoas, ele também é atribuído para várias aves que ocorrem no Brasil. Atualmente, é nome popular de 36 espécies do Brasil, designando várias aves da família Furnariidae, cuja característica marcante é a coloração uniforme da plumagem.

Mas, por que “João”? O biólogo do Terra da Gente, Luciano Lima, explica por que o nome é comumente atribuído a várias espécies brasileiras.

“Provavelmente é uma influência do nome do joão-de-barro, um dos passarinhos mais populares do Brasil. É interessante que, em nenhum outro país de língua portuguesa existam aves que sejam chamadas de ‘joão’, o que indica possivelmente que nomear alguns passarinhos de ‘joão’ é algo genuinamente brasileiro. Cabe destacar também que existem várias aves chamadas de ‘maria’”, diz Luciano.

Além de ser um nome muito comum entre as aves, quase sempre é acompanhado de uma característica, seja ela fisionômica, vocal ou de comportamento, como o joão-liso (Thripophaga fusciceps), o joão-teneném (Synallaxis spixi) e o próprio joão-de-barro (Furnarius rufus), respectivamente.

Luciano também explica a origem dos nomes populares mais curiosos dos joãos que habitam a natureza.

João-de-barro

Também conhecido como barreiro, o joão-de-barro é uma das aves mais populares do Brasil. Além da coloração da espécie, leva seu nome popular por seu característico ninho de barro em forma de forno. Ocorre em todo o país, com menos frequência na Amazônia e na Caatinga.

João-de-barro (Furnarius rufus) (Foto: manuelquiroga1/iNaturalist)

João-teneném

Conhecido também como bentererê ou bentereré, o nome popular do joão-teneném se origina de uma onomatopeia do canto da espécie “bentereré, bentereré…”, lembrando “joão-teneném” quando emitida várias vezes. A espécie ocorre mais frequentemente nos biomas Pampa e Mata Atlântica, de Minas Gerais e Espírito Santo até o Rio Grande do Sul.

João-teneném (Synallaxis spixi) (Foto: Leonardo Casadei)

João-liso

A origem do nome popular do joão-liso deve-se à coloração uniforme da ave (lisa), sem ter a presença de muitos detalhes de diferentes cores ao longo do corpo. A espécie ocorre apenas no bioma amazônico, na calha do Rio Madeira e no médio Amazonas.

João-liso (Thripophaga fusciceps) (Foto: Christoph Moning/iNaturalist)

João-corta-pau

Assim como o joão-teneném, o joão-corta-pau (Antrostomus rufus) também recebe seu nome popular por conta de uma onomatopeia do seu canto. A espécie é um bacurau e está distribuída por todo o país.

João-corta-pau (Antrostomus rufus) (Foto: Oliver Kohler/iNaturalist)

João-bobo

O hábito de ficarem imóveis, mesmo com a aproximação de uma pessoa, deu-lhe um dos nomes comuns mais utilizados no Centro-Oeste. Sua estratégia dificulta a detecção, mas facilita o abate, originando o nome de apara-bala ou joão-bobo (Nystalus chacuru). Ocorre em todo o Brasil, com menos frequência nos biomas de Caatinga e Amazônia.

João-bobo (Nystalus chacuru) (Foto: Leonardo Vilela/TG)

João-porca

O joão-porca (Lochmias nematura) é uma espécie bastante associada à água, pois se alimenta, principalmente, de insetos aquáticos e suas larvas. A origem do nome deve-se ao fato de que, em regiões rurais, a espécie eventualmente é observada caçando alimento em água suja. Ocorre nos biomas Pampa, Caatinga e Mata Atlântica.

João-porca (Lochmias nematura) — Foto: Tomaz Nascimento de Melo/iNaturalist
João-porca (Lochmias nematura) (Foto: Tomaz Nascimento de Melo/iNaturalist)

João-xique-xique

A espécie é endêmica do nordeste brasileiro e exclusiva da Caatinga. Seu nome popular faz uma referência ao cacto xique-xique que, assim como a ave, também é associado à Caatinga. A parte exterior e a boca do ninho do joão-xique-xique (Synallaxis hellmayri) são revestidas de espinhos de cactos com objetivo de impedir a aproximação de possíveis predadores, como cobras e lagartos.

João-xique-xique (Synallaxis hellmayri) (Foto: Norton Santos/iNaturalist)

Joãozinho

A origem do nome joãozinho (Furnarius minor) deve-se ao fato de a espécie ser parente do joão-de-barro. No entanto, ela é bem menor. A ave costuma ser vista em casais e a vocalização também costuma ser em dueto com seu parceiro. Ocorre na Amazônia, ao longo do Rio Madeira e Rio Amazonas.

Joãozinho (Furnarius minor) (Foto: KENNEDY BORGES/iNaturalist)

João-folheiro

O joão-folheiro (Metopothrix aurantiaca) possui esse nome por ter o hábito de caçar insetos e outros invertebrados, inspecionando detalhadamente folhas nas copas das árvores. No Brasil, está presente em áreas de várzea ao sul do Rio Amazonas e em áreas florestais ao sul da região amazônica.

João-folheiro (Metopothrix aurantiaca) (Foto: j4n_w/iNaturalist)

João-grilo

Semelhante ao joão-teneném, o joão-grilo (Synallaxis hypospodia) diferencia-se do seu parente pela sua asa ferrugínea, “boné” avermelhado e testa cinza. Seu canto consiste numa sequência de piados que lembram grilos, motivo do seu nome popular. Sua área de ocorrência abrange estados do Sudeste, como São Paulo e Minas Gerais, do Nordeste e do Brasil Central.

João-grilo (Synallaxis hypospodia) — Foto: guyincognito/iNaturalist
João-grilo (Synallaxis hypospodia) (Foto: guyincognito/iNaturalist)

Fonte: G1/Terra da Gente

Últimas

Gás natural chega ao Polo Gesseiro do Araripe

Gás natural chega ao Polo Gesseiro do Araripe

21/02/2024

Copergás inicia projeto piloto em abril e irá instalar terminal de regaseificação na região, que fica...

Categorias