Irmãs capturam peixe de 1,75 m e 60kg em rio de MS e batem recorde

Duas irmãs bateram o recorde ao capturarem o maior peixe da espécie pintado, no rio Dourados, neste último sábado (21), em Fátima do Sul, a 239 km de Campo Grande. O animal, na posição vertical, é maior que Maria e Graziele Borin – medindo 1,75m.

O último maior exemplar (pintado) até então media 1,72m. Todos os peixes catalogados que entraram para esse ranking tiveram medição comprovada.

Irmãs capturam peixe de 1,75 m e batem recorde em rio de MS — Foto: Maria Borin/Arquivo Pessoal
Irmãs capturam peixe de 1,75 m e batem recorde em rio de MS (Foto: Maria Borin/Arquivo Pessoal)

Segundo a agropecuarista Maria Borin, de 44 anos, durante a pescaria, as duas estavam acompanhadas de familiares. Ela contou como foi a experiência inusitada de entrar para a lista de pescadores que fisgaram grandes peixes na região.

“A sensação foi única e inexplicável, difícil acreditar que ainda existam exemplares como esse! Duas emoções indescritíveis, embarcar um peixe desses e depois devolvê-lo pro rio”, explicou.

Maria ainda relatou não acreditar no feito e também atribui o bom resultado da pescaria, aos primos que também são guia de pesca, Bruno Jorge e Rodrigo Jorge, que há anos atuam nos rios de Mato Grosso do Sul.

Irmãs capturam peixe de 1,75m e depois devolvem para rio — Foto: Maria Borin/Arquivo Pessoal
Irmãs capturam peixe de 1,75m e depois devolvem para rio (Foto: Maria Borin/Arquivo Pessoal)

“Se não fossem eles, não teríamos conseguido tirar esse gigante do rio! Foi realmente um trabalho de equipe e podemos ver o sério trabalho dos guias de pesca – sempre atrelado a consciência de preservação das espécies”, relembra.

De acordo com Rodrigo, foram cerca de 40 minutos do período em que Maria fisgou o peixe com ajuda da irmã – até levá-lo às margens do rio para medição e na sequência, realizar a soltura.

“Foi um momento incrível. Elas ficaram impressionadas com o tamanho do peixe e muito feliz com o resultado. Temos sempre o compromisso de soltar animais como esse até mesmo por conta da preservação. É uma emoção inexplicável”, relatou.

Ainda de acordo com Rodrigo, peixes do tamanho desse que foi fisgado pelas irmãs, devem ser devolvidos aos rios, justamente porque ultrapassou a medida máxima, que é de 1,25m.

Fonte: G1

Scroll Up