Internada há mais de um mês no HC de Botucatu, bebê que se afogou em balde passa por 2ª cirurgia: ‘É uma guerreira’, diz mãe

A bebê de apenas 1 ano que foi socorrida em estado grave depois de se afogar em um balde com água, em Piraju (SP), passou por uma segunda cirurgia nesta quarta-feira (11) para colocar sonda alimentar, no Hospital das Clínicas de Botucatu.

Apesar da menina ainda estar com os movimentos comprometidos por ter ficado muito tempo sem oxigênio, a mãe dela, Alessandra Aparecida Silveira Andrade, afirma que acredita que a alta hospitalar está cada vez mais próxima.

“A gente espera a recuperação total dela. Pelos médicos, ela não vai mexer nunca, mas eu creio que Deus está preparando algo pra ela. Ele é o médico dos médicos, vamos confiar só nele”, disse a mãe.

Ana Clara Silveira Andrade foi internada no HC depois que sofreu um acidente doméstico enquanto estava com a babá, que tem uma espécie de creche na casa dela e toma conta de várias crianças em Piraju.

Menina de 11 meses que se afogou em Piraju está internada na UTI do HC de Botucatu — Foto: Paulo Roberto Ramos Andrade/Arquivo pessoal
Menina de 11 meses que se afogou em Piraju está internada na UTI do HC de Botucatu (Foto: Paulo Roberto Ramos Andrade/Arquivo pessoal)

O pai da bebê, Paulo Roberto Ramos Andrade, contou que, por um descuido, a babá saiu para alimentar outra criança e a Ana Clara caiu dentro de um balde com água. Ela foi socorrida, mas chegou ao pronto-socorro da cidade com um quadro de parada cardiorrespiratória.

O médico que atendeu Ana Clara em Piraju disse que ela ficou desacordada por cerca de 15 minutos até ser reanimada. Depois, ela foi transferida ao HC de Botucatu, onde ficou na UTI e passou por uma traqueostomia no mês passado, para ajudar na respiração.

Ana Clara, de Piraju (SP), está internada no Hospital das Clínicas de Botucatu — Foto: Paulo Roberto Ramos Andrade/Arquivo pessoal
Ana Clara, de Piraju (SP), está internada no Hospital das Clínicas de Botucatu (Foto: Paulo Roberto Ramos Andrade/Arquivo pessoal )

No último dia 20, a bebê foi transferida para a ala de enfermaria da pediatria do HC, onde segue internada desde então. Segundo a mãe, a gastrostomia feita nesta quarta-feira (11) durou menos de uma hora e Ana Clara já pôde voltar para o quarto logo em seguida.

“Graças a Deus veio direto pro quarto, na pediatria. Ela mexe pouco, mas se mexe… ela mexe um pouquinho, o olho está abrindo. Acho que não vai demorar muito pra ter alta”, acredita Alessandra.

Para a mãe, que deixou de trabalhar nesse período para acompanhar a filha no hospital, Ana Clara é “uma guerreira” e “nasceu duas vezes, pois ficou praticamente uma hora morta”.

“Eu e meu marido estamos crendo muito. Eu choro toda noite, mas a alegria vem pela manhã. Eu creio que Deus está preparando uma coisa muito grande pra ela. Se ele deixou ela aqui, é porque ele tem um propósito muito grande.”

Aniversário de 1 ano

Ana Clara completou 1 ano no hospital. A mãe dela contou que estava planejando uma festa para celebrar os primeiros 12 meses de vida da filha no dia 25 de julho, tinha encomendado um enfeite de bolo e já estava pesquisando decorações com o tema da Minnie Mouse.

No entanto, a comemoração não aconteceu como a família planejava, já que houve o acidente no dia 29 de junho, e Alessandra teve que desmarcar as encomendas.

“Não deu para fazer nada porque só pode entrar uma pessoa por vez no quarto, mas não vai faltar oportunidade. Ainda vou fazer muitas festinhas pra ela, e vai recompensar todo o mês perdido”, afirma Alessandra.

Além de Ana Clara, Paulo e a esposa têm outros dois filhos em Piraju — Foto: Arquivo pessoal/Paulo Roberto Ramos Andrade
Além de Ana Clara, Paulo e a esposa têm outros dois filhos em Piraju (Foto: Arquivo pessoal/Paulo Roberto Ramos Andrade )

Segundo o pai de Ana Clara, o casal sempre deixou a filha com a babá. Ele disse que acidentes acontecem e que, no momento, não pretende tomar medidas em relação à profissional. A reportagem não conseguiu contato com a babá.

A reportagem  também entrou em contato com o Hospital das Clínicas de Botucatu para saber sobre o estado de saúde da paciente, mas a unidade informou que as informações são sigilosas, por se tratar de uma criança e ser contra o código de ética.

Fonte: G1 – Foto: Paulo Roberto Ramos Andrade/Arquivo pessoal

Scroll Up