Homem é preso por pisotear enteado de 2 anos pela segunda vez em um mês no MS

Um bebê de dois anos de idade está internado em estado grave após ter sido pisoteado pelo padrasto na casa onde moravam, em Dourados (MS), a 230 km da capital Campo Grande. Emerson de Moura da Silva, de 34 anos, já havia pisoteado a criança no início de junho. Ele foi preso nesta terça-feira junto com a mãe do bebê, Jaqueline Pereira dos Santos, de 23 anos. Segundo a Polícia Civil, ela acobertava as agressões. Uma decisão judicial, porém, a colocou em liberdade na tarde desta quarta.

O casal foi autuado em flagrante pelo delegado Marcelo Damasceno, da 2ª DP, após a equipe de investigação ser notificada de que a criança havia dado entrada no hospital às 23h de segunda-feira. Desta vez, o menino sofreu fraturas na bacia e no fêmur. Aos policiais, a mãe da criança contou que tem uma tatuagem com o nome do pai do bebê em um dos braços, o que Emerson não aceita e que, por este motivo, ele não gosta da criança.

Ainda no depoimento, a mulher contou que teve uma discussão com o companheiro momentos antes de ele começar a agredir seu filho. Ela relatou que, durante o almoço de segunda-feira, ouviu da cozinha o choro do bebê vindo da sala, onde o marido estava. Ao chegar ao local, ela encontrou o menino com as pernas inchadas. À mulher, Emerson negou ter pisoteado o enteado e disse que estava apenas fazendo exercícios nas pernas do garoto.

Não foi a primeira vez que o homem pisoteou o enteado. De acordo com a Polícia Civil, no dia 6 de junho, o bebê foi submetido a uma cirurgia no Hospital da Vida de Dourados após sofrer um corte de 4,5 centímetros no pênis.

A mãe só registrou o boletim de ocorrência quatro dias depois, comunicando que os ferimentos foram provocados pelo padrasto por meio de pisões. Na ocasião, Emerson não negou o fato, mas disse que foi acidental: o homem alegou que tinha ido pegar uma camisa no guarda-roupas e acabou pisando na criança sem querer.

Justiça decide colocar mãe em liberdade

Em audiência de custódia realizada na tarde desta quarta-feira, o juiz Marcus Vinícius de Oliveira Elias, da 2ª Vara Criminal de Dourados, concedeu o pedido de liberdade provisória impetrado pela defesa de Jaqueline Pereira dos Santos. Ele manteve Emerson de Moura da Silva em prisão cautelar e determinou que o homem fosse encaminhado ao sistema carcerário.

Apesar de solta, a mãe da criança está proibida de se aproximar e visitar o filho, que, por ora, está sob os cuidados da avó paterna. Já a defesa de Emerson alegou que o cliente fora agredido sem motivo por policiais que efetuaram sua prisão. O juiz solicitou cópias do auto de prisão e do conteúdo gravado, mas, atendendo ao pedido do Ministério Público, manteve a prisão.

“Diante das informações colhidas e do parecer oral do Ministério Público, por ora, determino a Jaqueline Pereira dos Santos as medidas cautelares de afastamento e de proibição de visita à criança, que se encontra com a avó paterna atualmente, até o deslinde da presente ação penal. Comunique-se o Conselho Tutelar acerca das determinações acima, para os devidos fins”, diz a decisão.

Fonte: Extra