Homem do interior de SP, de 26 anos, morre baleado com 13 tiros no Paraguai

Um jovem de 26 anos, morador de Araçatuba (SP), foi morto a tiros em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na noite de sábado (25). O corpo do rapaz foi levado para a cidade paulista para ser velado e enterrado nesta segunda-feira (27).

Um bilhete foi deixado próximo ao corpo após o crime com a mensagem “não roubar na fronteira”, segundo apuração do g1.

Rogério Laurete Buosi, morador de Araçatuba (SP), foi morto a tiros no Paraguai (Foto: Reprodução/Facebook)

A irmã da vítima, Ana Lara Batista Leal, contou que Rogério Laurete Buosi foi encontrado baleado dentro da casa onde estava, em Pedro Juan Caballero. Ele recebeu 13 tiros, que atingiram a cabeça, uma das mãos e um braço.

Bilhete foi deixado ao lado do corpo da vítima — Foto: Polícia paraguaia/Reprodução
Bilhete foi deixado ao lado do corpo da vítima (Foto: Polícia do Paraguai/Reprodução)

De acordo com Ana Lara, o irmão se mudou para o Paraguai a trabalho há cerca de dois meses. Ele foi convidado por amigos e a previsão era que ele voltasse para Araçatuba, onde mora a família, em outubro.

O corpo de Rogério chegou a Araçatuba no domingo (26). O enterro está previsto para 19h desta segunda.

Fronteira sangrenta

Bilhete deixado por "justiceiros" após duplo homicídio na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai — Foto: Redes Sociais
Bilhete deixado por “justiceiros” após duplo homicídio na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai (Foto: Redes Sociais)

Mortes com essas características já ocorreram no passado e mais recentemente na região, que é uma das mais violentas na fronteira com o Mato Grosso do Sul.

Em agosto, dois jovens, que seriam irmãos brasileiros, foram assassinados, na fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Como ocorreu em outros casos, foi deixado um bilhete atribuindo o crime aos “Justiceiros da Fronteira”.

Local do atentado logo após ataque a casal em Pedro Juan Caballero, no Paraguai — Foto: ABC Color
Local do atentado logo após ataque a casal em Pedro Juan Caballero, no Paraguai (Foto: ABC Color)

Um mês antes, o casal Mateo Martínez Armoa, de 21 anos, e Anabel Centurion Mancuelo, de 22, foram executados com 47 tiros em uma choperia também na cidade de Pedro Juan Caballero.

Segundo a polícia paraguaia, os pistoleiros deixaram um bilhete, escrito em espanhol, preso à cabeça do jovem e com assinatura de “Justiceiros da Fronteira”: “Favor não roubar” .

Um dia depois da morte do casal, um adolescente de 17 anos foi encontrado sem mãos e com o bilhete: ‘os justiceiros estão de volta. O crime aconteceu na mesma fronteira.

Em maio, um vídeo circulou nas redes sociais mostrando um homem, sendo executado com tiros de fuzil, em uma das ruas que faz fronteira entre Ponta Porã (MS) e Pedro Juan Cabellero.

Também em maio, três homens foram mortos a tiros e os suspeitos pelos assassinatos ainda colocaram cartazes de alerta sobre os corpos com as palavras “não roubem”.

Os casos de violência e morte na fronteira não são recentes. No ano passado, câmeras de segurança flagraram a execução do brasileiro Uderson Itrio Fernandes de Araújo, 32 anos. Ele estava na frente da casa dele, em Pedro Juan Caballero, quando foi baleado. O vídeo mostrou toda a ação.

Policiais paraguaios disse que encontrou os 'avisos' em postes em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã.  — Foto: Polícia do Paraguai/ Reprodução
Policiais paraguaios disse que encontrou os ‘avisos’ em postes em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã. (Foto: Polícia do Paraguai/ Reprodução)

Fonte: G1

Scroll Up