Homem confessa morte de designer em depoimento, mas diz que crime ocorreu durante discussão de relacionamento

O supervisor de produção que confessou ter matado a designer e moradora de Saltinho (SP) Denise Stella, de 31 anos, afirmou em depoimento que o crime aconteceu após uma discussão. Segundo a Polícia Civil divulgou nesta quinta-feira (27), Cristiano Romualdo, de 39 anos, é casado e mantinha relacionamento secreto com a vítima, mas disse à amante que não terminaria o casamento para ficar com ela, que estava grávida.

Leia Mais:

Grávida, designer é morta por amante após se recusar a fazer aborto no interior de SP, diz polícia

Polícia encontra corpo de designer desaparecida no interior de SP

De acordo com o delegado Wagner Romano, Denise “reagiu agressivamente” quando o homem afirmou que não iria abandonar a esposa. Os dois estavam dentro do carro da vítima e ele a enformou com o cinto de segurança do veículo durante a discussão, segundo o depoimento prestado à polícia.

Conforme as informações divulgadas pela Polícia Civil, o homem também havia pedido para que Denise abortasse o filho do casal, mas ela se negou a tirar a criança. Romano afirmou nesta quinta que Cristiano não falou sobre a questão do aborto durante o depoimento. Essa suspeita, no entanto, ainda será melhor investigada. Outro detalhe a ser apurado é se houve premeditação do crime.

O delegado afirmou que o homem chegou a negar que tinha conhecimento da gravidez de Denise, mas a investigação já confirmou que ele sabia que a vítima estava grávida.

A designer foi encontrada morta em canavial da região de Rio das Pedras (SP) nesta quarta-feira (26). A vítima estava desaparecida desde segunda (24) e o carro dela foi achado também no meio de uma lavoura de cana. Denise e Cristiano trabalhavam juntos na mesma empresa. Ela foi enterrada às 10h desta quinta no Cemitério Municipal de Saltinho (SP).

Conforme a cartório da delegacia de Rio das Pedras, onde o caso é investigado, até as 16h desta quinta-feira, Cristiano ainda não tinha um advogado oficialmente constituído perante a Polícia Civil.

 

Fonte: G1

Scroll Up