01 março, 2024

Últimas:

Greve dos coletores de lixo continua em Bauru

Anúncios

A segunda audiência de conciliação entre a Prefeitura de Bauru (SP), a Emdurb, os vereadores e o Sindicato dos Trabalhadores terminou sem acordo na tarde desta quarta-feira (3), no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas (SP).

Lixo se acumula nas ruas de Bauru durante greve dos coletores da Emdurb — Foto: Fernando Savioli/TV TEM
Lixo se acumula nas ruas de Bauru durante greve dos coletores da Emdurb (Foto: Fernando Savioli/TV TEM)

A reunião foi realizada como tentativa de encerrar a greve dos coletores de lixo da Emdurb, que já dura 17 dias.

Anúncios

No começo da reunião, a Emdurb fez uma proposta ao sindicato: aumentar o vale-compra dos funcionários em R$ 150 a partir de janeiro do ano que vem, de R$ 625 para R$ 775.

Sacos de lixo se acumulam nas ruas de Bauru  — Foto: Gabriel Pelosi/ TV TEM
Sacos de lixo se acumulam nas ruas de Bauru (Foto: Gabriel Pelosi/ TV TEM)

A partir de maio de 2023, a empresa prometeu aumentar em mais R$ 150 o valor do vale e, em setembro do mesmo ano, chegar aos R$ 1 mil pedidos desde o início da paralisação.

Anúncios

Além disso, conforme a proposta da Emdurb, os valores que faltariam para cada funcionário receber R$ 1 mil entre os meses de agosto de 2022 a agosto de 2023 – no valor total de R$ 3.450 – seriam pagos em 12 parcelas a partir de janeiro de 2024, o que corresponde a R$ 287,50 por mês para cada um.

O sindicato, por sua vez, pediu que o primeiro aumento já fosse realizado no próximo mês e não apenas em janeiro. A Emdurb e a prefeitura não aceitaram e, após mais de uma hora de reunião, o acordo não foi selado.

Audiência de conciliação termina sem acordo entre coletores de lixo, Prefeitura de Bauru, vereadores e sindicato — Foto: Cesar Evaristo/TV TEM
Audiência de conciliação termina sem acordo entre coletores de lixo, Prefeitura de Bauru, vereadores e sindicato (Foto: Cesar Evaristo/TV TEM)

Ainda durante essa segunda tentativa de acordo, o vice-presidente judicial do TRT decidiu reduzir o percentual mínimo de coletores da Emdurb que devem se manter no trabalho. A partir de agora, ao invés de 55%, apenas 30% dos funcionários precisam estar nas ruas.

A medida foi adotada porque a prefeitura contratou uma empresa terceirizada de forma emergencial para fazer a coleta do lixo enquanto a greve acontece.

Sem o acordo para o fim da paralisação, a greve dos coletores da Emdurb não terá mais audiência de conciliação e o impasse deve ir à Justiça.

Em nota, a prefeitura informou que vai ampliar o serviço da empresa contratada, que vai passar a fazer 70% da coleta diária de resíduos.

“Em caso de verificação de descumprimentos por parte da Emdurb, a Prefeitura de Bauru adotará as medidas cabíveis, para que o serviço seja realizado em sua totalidade para a população”, finaliza a nota.

A greve

A paralisação afeta principalmente a coleta de lixo, mas, além dos coletores, 32 funcionários da varrição pública e quatro do Cemitério do Redentor também aderiram ao ato por tempo indeterminado.

O que motivou a insatisfação da categoria foi a aprovação, pelos vereadores, de um projeto do Executivo que aumentou o vale-compra de servidores da administração direta e autarquias, mas sem contemplar a Emdurb. O valor passou de R$ 625 para R$ 1 mil.

Em nota, a prefeitura afirmou que vai ampliar o serviço prestado pela empresa contratada, subindo o percentual de 45% para 70% de coleta do volume diário de resíduos, de maneira a suprir toda a coleta.

Ainda no comunicado, a administração afirmou que adotará “medidas cabíveis” caso seja verificado o descumprimento por parte da Emdurb 30% dos funcionários em atividade, conforme determinado pelo TRT.

Contratação emergencial

Sacos de lixo se acumulam nas ruas de Bauru — Foto: TV TEM/ Reprodução
Sacos de lixo se acumulam nas ruas de Bauru (Foto: TV TEM/ Reprodução)

A Prefeitura de Bauru (SP) divulgou, no fim da tarde do dia 27 de julho, a assinatura de um contrato emergencial com uma empresa particular para ajudar na coleta de lixo orgânico e tentar amenizar os efeitos da greve.

Segundo a prefeitura, a empresa contratada é a M Construções e Serviços Ltda, com sede no Rio Grande do Norte, mas atuação em cidades paulistas. O valor do contrato emergencial é de R$ 259 por tonelada, com previsão de recolhimento de 144 toneladas por dia.

Desde a última quinta-feira (28), a coleta tem sido realizada conforme o cronograma já estabelecido pela Emdurb, com atendimento de alguns bairros nas segundas, quartas e sextas e outros às terças, quintas e sábados.

Mesmo com coleta parcial, lixo se acumula nas ruas após cinco dias de greve em Bauru  — Foto: TV TEM/Reprodução
Mesmo com coleta parcial, lixo se acumula nas ruas após cinco dias de greve em Bauru (Foto: TV TEM/Reprodução)

Fonte: G1

Últimas

Estreia em Trindade a peça "Povo da Vila de Barro Preto"

Estreia em Trindade a peça “Povo da Vila de Barro Preto”

01/03/2024

A peça "O Povo da Vila de Barro Preto" será apresentada em Trindade, no Cineteatro AFIPE,...

Categorias