23 abril, 2024

Últimas:

Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 é adiado por conta do coronavírus; já são nove etapas impactadas

Anúncios

Os organizadores do GP do Canadá decidiram adiar a corrida por causa do atual surto de coronavírus. A prova, que seria realizada entre os dias 12 e 14 de junho, é a nona impactada desde o início da pandemia e ainda não tem uma nova data.

Em um comunicado emitido, os promotores do GP afirmarem “se sentirem honrados em realizar a primeira corrida de 2020” e que estavam “tristes” em ter de adiar a etapa.

Anúncios

– Esse adiamento não foi uma decisão tomada de maneira fácil. Ao longo do último mês, estivemos em constante contato com a F1 e os representantes da Cidade de Montreal e os governos da província e do país. Ouvidos as diretivas emitidas pelos oficias de saúde e estamos seguindo as práticas recomendadas pelas autoridades em meio à pandemia de Covid-19. Nossos pensamentos e gratidão estão com os homens e mulheres trabalhando de forma incansável para nos manter saudáveis e alimentados durante esses tempos de incerteza – afirmou o CEO do GP do Canadá, Francois Dumontier.

Apesar de não ter definido uma nova data para a realização da prova em Montreal, o discurso do CEO da F1, Chase Carey, dá a entender que o plano é realizar a corrida em 2020.

Anúncios

– Temos trabalhado em conjunto com os nossos amigos do GP do Canadá ao longo das últimas semanas e os apoiado nesta decisão para assegurar a segurança de todos os fãs e da comunidade da F1. Sempre ficamos ansiosos para viajar para a incrível cidade de Montreal. E por mais que desta vez tenhamos que esperar um pouco mais, faremos um grande show quando chegarmos lá no fim deste ano – afirma Carey.

O calendário da Fórmula 1 em 2020 sofreu impactos severos devido à pandemia de Covid-19. Além do impacto sofrido pelo GP do Canadá, as corridas da Austrália e Mônaco foram cancelados, enquanto as provas de Barein, Vietnã, China, Holanda, Espanha e Azerbaijão estão adiadas.

Fábricas fechadas por mais tempo, redução de teto orçamentário e de salários

Em votação unânime, a F1, as equipes e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), anunciaram nesta terça-feira a extensão de 21 para 35 dias do fechamento compulsório das fábricas das equipes durante a pandemia de coronavírus.

Também nesta terça, a direção da Fórmula 1 seguiu o exemplo de McLaren, Williams e Racing Point e decidiu conceder licença a funcionários, além de reduzir os salários de seu corpo diretivo em 20% devido à pandemia mundial de coronavírus. O CEO Chase Carey poderá voluntariamente ter uma redução ainda maior em seus vencimentos.

Já na segunda-feira, a Fórmula 1 e as equipes acertaram uma redução no teto orçamentário que passará a vigorar a partir de 2021. Em vez de US$ 175 milhões (cerca de R$ 925 milhões), o limite será de 150 milhões (aproximadamente R$ 792 milhões).

Fonte: G1

Últimas

Ferramentas avançadas de BI visam democratizar a ciência de dados no Brasil

23/04/2024

Fornecedores estão usando GenAI e recursos de linguagem natural para tornar o processo de governança de...

Categorias