Botucatu: Cachoeira da Marta – qual sua importância?

A cachoeira da Marta faz parte de um parque classificado como Unidade de Conservação de Proteção Integral

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Não há dúvidas acerca da contribuição da Cachoeira da Marta para o turismo. Mas, será somente essa a importância da Marta?

A resposta é não. A cachoeira da Marta faz parte de um parque classificado como Unidade de Conservação de Proteção Integral, daí o nome: Unidade de Conservação Parque Natural Municipal Cachoeira da Marta (criado pela Lei municipal n°. 4212 de 21 de fevereiro 2002 e seu plano de manejo é regulamentado pelo Decreto municipal n°.  8.961 de 10 de fevereiro de 2012).

Declaração de significância

O Parque possui uma vasta significância ecológica, a saber:

  • Está localizado em uma zona de transição entre os Biomas Mata Atlântica e Cerrado; 
  • Está inserido no Perímetro Botucatu da APA Estadual Botucatu-Corumbaí-Tejupá;
  • É a única Unidade de Conservação de Proteção de integral da Região; 
  • Abrange duas das três províncias geomorfológicas que compõem a Cuesta de Botucatu; 
  • Está inserido na Bacia do Rio Capivara, uma das bacias mais conservadas da região; 
  • Está inserido em uma região de solos frágeis, importantes no processo de infiltração e abastecimento do lençol freático; 
  • Forma, juntamente com outros fragmentos da região, um grande corredor de vida silvestre; 
  • Representa unidade local para a realização de Programas de Educação Ambiental;
  • Constitui importante alternativa de lazer em contato com a natureza, em função de seus atributos naturais e da sua localização; 
  • É visitado por um grande contingente de turistas da região e de outras localidades

Origem do nome e histórico de criação

A área de criação do Parque da Marta era antes destinada à área verde do Condomínio Recanto da Amizade e, por uma iniciativa da ONG SOS Cuesta de Botucatu juntamente com a Secretaria de Meio Ambiente, foi dado início ao processo que culminou na criação do Parque pela Prefeitura Municipal de Botucatu.

A área já era frequentada por banhistas e aventureiros desde a década de 70, quando havia no local uma fazenda onde, de acordo com relatos da comunidade botucatuense, a principal cachoeira da Fazenda servia de ponto de encontro da filha do fazendeiro, Marta, e seus amigos. Logo o local foi amplamente divulgado e conhecido por Cachoeira da Marta.

Dados sobre a Trilha e a Cachoeira

Ao todo são 500 metros de descida/subida (aproximadamente 200 degraus), com altimetria de 23 metros, escadaria sinalizada com corrimão e banco para descanso. A cachoeira possui uma queda de aproximadamente 38 metros. No ponto da queda d’água encontramos uma pequena lagoa, garantindo aos visitantes um ótimo local para banho. 

Algumas regras para visitação

  • Aberto ao público: terça à domingo, das 9h às 17h
  • Trilha autoguiada com placas informativas (em pontos estratégicos, presença de instrutores)
  • Não é permitido o consumo de bebidas alcoólicas, piquenique, fogueira e churrasco na área da cachoeira
  • Proibido fumar
  • Proibido mergulhar na lagoa da cachoeira (risco de trauma)
  • Caminhar cuidadosamente nas rochas (risco de tombos e escorregões)
  • Não é permitido a visitação com animais domésticos
  • Não é permitido a prática de rapel
  • Não é permitido a descida da trilha com bicicleta
  • Não deixar lixo na trilha e na área da cachoeira
  • Não escrever nos troncos das árvores e nas rochas
  • Em dias chuvosos, é proibido a permanência na água
  • Não pendure ou suba no corrimão
  • Proibido caminhar fora da trilha 
  • Recomendamos o uso de sapato fechado, protetor solar e repelente.

Bom passeio!

Fonte: Plano de Manejo do Parque.

*Patricia Shimabuku é farmacêutica industrial, professora e ativista socioambiental. 

Fonte: Notícias Botucatu

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes