Filipinas entra em alerta após erupção do vulcão Taal

A agência sismológica das Filipinas pediu nesta quinta-feira (1º) a evacuação de milhares de pessoas nas proximidades de um vulcão ao sul de Manila, depois que ele entrou em erupção.

O vulcão Taal, localizado no meio de um lago peculiar, expele dióxido de enxofre há dias, criando uma densa névoa sobre a capital e várias províncias vizinhas, o que gerou alertas das autoridades.

A última erupção foi em janeiro de 2020. Naquela época, o vulcão expeliu cinzas que chegavam a 15 km de altura e a lava por ela lançada devastou um grande número de casas, obrigando mais de 135 mil pessoas a se mudarem para abrigos.

O Taal ganhou vida na tarde de quinta-feira, com “uma pluma freatomagmática escura e fugaz” que se elevou a quase um quilômetro, informou o Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia em um comunicado.

Foi seguido de “quatro pequenas explosões freatomagmáticas” que produziram plumas de 200 metros de altura sobre o lago da cratera principal, disse o instituto em uma atualização posterior.

A agência alertou sobre possíveis “erupções consecutivas” e aumentou o nível de alerta de dois para três, recomendando a evacuação da ilha e das cidades de Agoncillo e Laurel, localizadas em área de “alto risco”.

Imagem retirada de vídeo mostra coluna de vapor e fumaça do vulcão Taal, nas Filipinas, na quinta-feira (1º) — Foto: Philippine Institute of Volcanology and Seismology - Department of Science and Technology via AP
Imagem mostra coluna de vapor e fumaça do vulcão Taal, nas Filipinas, na quinta-feira (1º) (Foto: Philippine Institute of Volcanology and Seismology – Department of Science and Technology)

“Estamos aumentando o alerta porque algo está acontecendo e isso pode levar a um aumento da atividade”, disse o diretor da agência, Renato Solidum à AFP.

Mariton Bornas, que chefia a seção da agência responsável pelo monitoramento de vulcões, disse que “não espera que aconteça a mesma coisa” do que na erupção do ano passado.

Um porta-voz da agência nacional de gestão de desastres disse que seus agentes locais convocaram uma reunião de emergência com funcionários do governo e serviços de emergência. Segundo ele, cerca de 15 mil pessoas vivem nas áreas de risco.

O gerente de desastres de Agoncillo, Junfrance De Villa, disse à AFP que os preparativos estavam sendo feitos para o caso de uma evacuação da comunidade à beira do lago.

Imagem retirada de vídeo mostra coluna de vapor e fumaça do vulcão Taal, nas Filipinas, na quinta-feira (1º) — Foto: Philippine Institute of Volcanology and Seismology - Department of Science and Technology via AP
Imagem mostra coluna de vapor e fumaça do vulcão Taal, nas Filipinas, na quinta-feira (1º) (Foto: Philippine Institute of Volcanology and Seismology – Department of Science and Technology)

“Alguns já se refugiaram com parentes”, disse De Villa.

A Cruz Vermelha das Filipinas tuitou na noite de quinta-feira que seus voluntários levaram alguns residentes de uma área de Laurel a uma escola primária que está sendo usada como abrigo.

Taal é um dos vulcões mais ativos do país, regularmente abalado por erupções e terremotos, estando localizado no Anel de Fogo do Pacífico, uma área de intensa atividade sísmica.

O acesso à ilha onde fica o vulcão, onde viveram milhares de pessoas, está proibido desde o ano passado.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up