Exames concluem que menina de Lençóis não teve parada cardíaca em função da vacina. Ela sofre de uma síndrome congênita no coração; Veja a nota oficial

O Governo do Estado de São Paulo e o Centro de Vigilância Epidemiológica “Professor Alexandre Vranjac” divulgou nesta quinta-feira, 20, o resultado da investigação do caso da menina de 10 anos de Lençóis Paulista que sofreu uma parada cardiorrespiratória 12 horas após a vacinação contra a Covid-19 e está internada em Botucatu, no Hospital da Unimed.

De acordo com os exames, foi confirmado que “Não existe relação casual entre a vacinação e o quadro clínico apresentado, portanto, o evento adverso pós-vacinação está descartado”.

Segundo os especialistas da Divisão de Imunização e dos Grupos de Vigilância Epidemiológica de Botucatu e Bauru e do município de Lençóis Paulista, foi realizada uma série de exames e foi constatado que a garota sofre da Síndrome de Wolff-Parkinson-White (WPW), uma condição congênita que leva o coração a ter crises de taquicardia. Algumas dessas crises podem ter frequências muito altas, levando até a síncope ou mesmo morte súbita.

Foi essa síndrome, até então não diagnosticada e conhecida da família, segundo os relatos, que levou a criança a ter uma crise de taquicardia.

Ainda segundo a nota, a menina foi atendida em momento oportuno, o quadro foi revertido e ela encontra-se hospitalizada, monitorizada e estável.

Jornal Leia Notícias