Ex-funcionário da Mercedes destrói mais de 50 veículos com escavadeira em fábrica na Espanha

Um homem de 38 anos foi preso depois de invadir uma fábrica da Mercedes-Benz no norte da Espanha e destruir, com a ajuda de uma escavadeira, cerca de 50 veículos do tipo furgão. Eles eram novos e estavam parados no estacionamento enquanto aguardavam transporte para as revendedoras.

O caso foi registrado na madrugada do dia 31 de dezembro, mas nesta terça-feira (5), fontes policiais anunciaram que o suspeito é um ex-funcionário da fábrica que fica localizada no município de Vitória-Gasteiz, cidade do País Basco espanhol.

Os veículos danificados têm um valor médio, cada um, de 40 mil euros, estimaram trabalhadores da fábrica ao jornal “El País”. O prejuízo pode chegar a mais de 5 milhões de euros, mas a montadora não quis comentar o ocorrido.

Um ex-funcionário da fábrica da Mercedes em Vitoria, no norte da Espanha, destruiu 50 vans novas da empresa com uma escavadeira — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Um ex-funcionário da fábrica da Mercedes em Vitoria, no norte da Espanha, destruiu 50 vans novas da empresa com uma escavadeira (Fotos: Reprodução/Redes Sociais)

Segundo a polícia regional basca, a escavadeira usada no ataque estava registrada em nome de uma outra empresa, que fica em uma cidade a 21 km da fábrica. Ele teria conduzido o veículo por toda essa extensão, provocando danos na pista até se chocar contra os portões de entrada da Mercedes-Benz.

“O segurança responsável pelo pátio chegou a disparar contra o condutor porque pensou que seria atropelado”, disse um funcionário que não quis se identificar ao “El País” .

50 vans novas da Mercedes são destruídas com uma escavadeira no norte da Espanha — Foto: Reprodução/Redes Sociais
50 vans novas da Mercedes são destruídas com uma escavadeira no norte da Espanha (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Iñaki Andrés Lozares, representante sindical, disse à agência de notícias France Presse que, além dos 50 furgões, mais 19 veículos foram danificados pelo ataque com a escavadeira.

Lozares comentou que o responsável pela destruição, que foi demitido em 2017, sentia frustração com a direção da fábrica e com outros funcionários. Segundo ele, o suspeito teria chegado a tentar entrar, sem sucesso, nas instalações de montagem.

Fonte: Yahoo!

Scroll Up