Europa enfrenta onda de calor, na Península Ibérica aumenta o risco de incêndios

Uma onda de calor passa por diversos países da Europa Ocidental, especialmente Espanha e Portugal, onde há incêndios e alertas para que as pessoas se protejam. As temperaturas também estão mais altas do que o normal na França e no Reino Unido.

Com as mudanças climáticas causadas pelo homem provocando secas, espera-se que o número de incêndios florestais extremos aumente 30% nos próximos 28 anos, de acordo com um relatório da ONU de fevereiro de 2022.

Homem com cachorro em Ourense, na Espanha; termômetro de rua marca 47ºC, em 12 de julho de 2022 (Foto: Reprodução)

Portugal

O aumento das temperaturas em Portugal obrigou as autoridades a colocar mais da metade do país em alerta vermelho, nesta terça-feira (12), e enviar centenas de bombeiros para combater as chamas na região central em meio a uma onda de calor.

As temperaturas em Portugal, atingido pela seca, devem ultrapassar 40ºC, disse a agência meteorológica do país, IPMA.

Em Santarém, norte de Lisboa, um incêndio florestal que começou na semana passada reacendeu nesta terça-feira devido aos fortes ventos, e cerca de 400 bombeiros foram mobilizados para o apagar.

Na capital portuguesa, que fervilha de turistas, as pessoas tentavam se refrescar bebendo água, tomando sorvete ou indo para praias ou rios próximos.

Espanha

A vizinha Espanha também enfrenta alto risco de incêndios florestais, com as regiões de Extremadura, Castela e Leão entre as principais preocupações, disseram as autoridades. A província de Ourense, no noroeste, estava em “alerta vermelho”, já que as temperaturas deveriam chegar a 42°C.

França

Em algumas regiões da França, a temperatura chegou a 39ºC.

A expectativa é que a onda de calor dure pelo menos oito dias, de acordo com o órgão de previsão do tempo Météo France.

Não se espera que as temperaturas batam recordes, mas ainda assim há alertas para que a população fique atenta.

Por causa do clima, o dia da Bastilha, 14 de julho, não terá fogos de artificio.

Em 2003, o país enfrentou uma onda de calar que deixou cerca de 15 mil pessoas mortas.

Reino Unido

Houve um encontro no governo para discutir a possibilidade de risco de vida se as temperaturas alcançarem 40ºC. Um plano está sendo feito para mitigar os efeitos do calor.

A agência de saúde pode emitir um sinal de alerta.

Fonte: Yahoo!