EUA reduz a dez anos pena de um século de prisão contra imigrante latino

A sentença de mais de um século de prisão contra um imigrante latino por um acidente de trânsito letal ocorrido em 2019 foi reduzida a dez anos nesta quinta-feira (30), após um pedido maciço por clemência, ao qual se uniu a estrela de ‘reality show’ Kim Kardashian (foto).

“Depois de tomar conhecimento da incomumente alta e injusta sentença no seu caso, estou comutando a sua sentença a dez anos e permitindo que possa aplicar à liberdade condicional em 30 de dezembro de 2026”, escreveu o governador do Colorado, Jared Polis, em carta dirigida a Rogel Aguilera-Mederos.

O imigrante cubano de 26 anos dirigia um caminhão carregado com madeira em abril de 2019 por uma estrada do montanhoso estado quando perdeu o controle do veículo, provocando um enorme acidente, que deixou quatro mortos e seis feridos. O motorista argumentou que os freios falharam.

Em outubro, ele foi declarado culpado de várias acusações, entre elas direção imprudente com resultado morte. Há duas semanas, foi sentenciado a 110 anos de prisão, o mínimo possível segundo as leis locais para as acusações contra ele.

Mais de 4,6 milhões de pessoas assinaram uma petição por clemência. A estrela Kim Kardashian, que se está preparando para ser advogada, somou-se ao clamor público.

“Rogel Lazaro Aguilera-Mederos tem um registro de trânsito limpo e não tem nada em sua ficha criminal”, diz o pedido enviado ao governador do Colorado e ao poder judicial.

“Acho que você merece a clemência por várias razões”, escreveu Polis. “Embora não esteja livre de culpa, sua sentença é desproporcional em comparação com as de outras pessoas no sistema criminal de justiça, que cometerem crimes violentos, premeditados ou intencionais”.

O governador destacou que o caso ilustra a necessidade de discutir o marco legal regional, que estabelece penas mínimas obrigatórias para alguns crimes.

“Estou implorando por perdão”, disse o motorista, aos prantos, perante o tribunal há duas semanas.

No acidente morreram quatro pessoas com idades entre 24 e 69 anos.

A promotoria tinha pedido uma nova audiência para reconsiderar a extensão da pena.

Fonte: Yahoo!