16 de julho, 2024

Últimas:

EUA lançam o B-21, novo bombardeiro nuclear ‘invisível’

Anúncios

O mais novo bombardeiro nuclear furtivo dos EUA está fazendo sua estreia pública nesta sexta-feira (2) após anos de desenvolvimento secreto. Ele é visto como parte da resposta do Pentágono às crescentes preocupações sobre um futuro conflito com a China.

O B-21 Raider é o primeiro novo bombardeiro americano em mais de 30 anos. Antes de sua inauguração na sexta-feira em uma instalação da Força Aérea em Palmdale, Califórnia, apenas as representações artísticas do avião de guerra foram divulgadas.

Anúncios

Bombardeiro nuclear invisível, B-21, é revelado pela Força Aérea dos EUA — Foto: Força Aérea dos EUA via AP
Bombardeiro nuclear invisível, B-21, é revelado pela Força Aérea dos EUA (Foto: Força Aérea dos EUA)

O B-21 possui um revestimento melhor que seu antecessor (B-2), assim como novas formas de controlar as emições eletrônicas afim de dificultar o reconhecimento por radares inimigos.

Essas poucas imagens revelam que o Raider se assemelha ao bombardeiro furtivo nuclear preto que eventualmente substituirá, o B-2 Spirit.

Anúncios

Vista aérea do Pentágono, nos EUA, de 3 de junho de 2011 — Foto: Charles Dharapak/Arquivo/AP Photo
Vista aérea do Pentágono, nos EUA (Foto: Reprodução)

O bombardeiro faz parte dos esforços do Pentágono para modernizar todas as três pernas de sua tríade nuclear, a qual inclui mísseis balísticos e ogivas, à medida que muda das campanhas de contraterrorismo das últimas décadas para atender à rápida modernização militar da China.

A China está a caminho de ter cerca de 1.500 armas nucleares até 2035, e seus avanços em hipersônicos, na guerra cibernética, nas capacidades espaciais e em outras áreas apresentam “o desafio mais consequente e sistêmico para a segurança nacional dos EUA e o sistema internacional livre e aberto”, disse o Pentágono esta semana em seu relatório anual sobre a China.

Seis B-21 Raiders estão em produção; A Força Aérea americana planeja construir 100 unidades que podem implantar armas nucleares ou bombas convencionais e podem ser usadas com ou sem tripulação humana.

O custo dos bombardeiros é desconhecido.

O Raider não fará seu primeiro voo até 2023. No entanto, usando computação avançada, seu desempenho vem sendo testado usando um gêmeo digital, uma réplica virtual dele.

Fonte: Yahoo!

Talvez te interesse

Últimas

Evento será realizado no Skatepark Sport Clube Corinthians Paulista e terá a participação de 35 paraskaters ...

Categorias