No Dia Mundial do Meio Ambiente, McDonald’s anuncia a eliminação de película de EPS Foam de suas embalagens

Embalagens de café da manhã e copos de McCafé são os mais recentes a terem o EPS Foam (Poliestireno expandido) substituído por Polipapel, que é igualmente eficaz e possui 100% de certificação pelo Forest Stewardship Council® (FSC) e Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes (PEFC)

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Com metas globais para ampliar o impacto positivo de seus negócios, o McDonald’s reitera o seu compromisso com o Dia Mundial do Meio Ambiente e anuncia, hoje (5), a conclusão do processo de eliminação do uso da película de EPS Foam (poliestireno expandido) de todas as suas embalagens na América Latina. Recentemente, a empresa removeu esse material dos copos de café e embalagens de café da manhã, substituindo-os por uma solução mais sustentável econômica, social e ambientalmente, mantendo a eficácia no isolamento térmico das bebidas quentes.

A eliminação desse material – que começou há cerca de cinco anos – tem gerado um impacto positivo ao ecossistema ao reduzir a presença de aproximadamente 190 toneladas/ano de material nocivo ao meio-ambiente. Isso porque o poliestireno, também conhecido como Isopor, traz efeitos nocivos ao ambiente quando descartado incorretamente. No seu lugar, o McDonald’s passou a usar Polipapel, uma cartolina revestida por uma lâmina de polietileno e que é certificada pelo Forest Stewardship Council® (FSC) e pelo Programme for the Endorsement of Forest Certification Schemes (PEFC).

“Somos líderes do segmento de serviço rápido de alimentação e entendemos que é nosso dever agir frente a alguns dos maiores desafios ambientais da atualidade. Temos um compromisso global de adotar estratégias sustentáveis para recipientes e recicláveis até 2025, que inclui que 100% das embalagens sejam provenientes de fontes renováveis ou certificadas”, afirma José Valledor, Vice-Presidente de Suplly Chain da Arcos Dorados. “Em países como o Brasil e a Argentina a meta já havia sido alcançada há alguns anos e, até o final de 2019, todos os restaurantes na América Latina passam a seguir essa prática mais sustentável”, conclui.

Escala para o Bem

Além dessa meta alcançada, o McDonald’s soma diversos esforços para diminuir a geração de resíduos de uma maneira geral, como o desestímulo ao uso de canudos, separação de lixo e reciclagem de embalagens e óleo de cozinha usados nos restaurantes. A marca também é a primeira rede de restaurantes do mundo a assinar um acordo global de combate às mudanças climáticas. A companhia se comprometeu, em março de 2018, a diminuir em 36% as emissões de gases de efeito estufa até 2030, além de 20% em toda sua cadeia de suprimentos dentro do mesmo período.

A ação faz parte da iniciativa global do McDonald’s Scale for Good, que aproveita toda a força, tamanho e alcance da marca para impulsionar o progresso onde é mais relevante. A ‘escala para o bem’ tem como premissa se responsabilizar e agir em alguns dos desafios sociais e ambientais mais urgentes da atualidade.

Outro ponto a ressaltar é que sendo um dos maiores compradores de carne globalmente, a rede possui a responsabilidade em ajudar a guiar as indústrias para melhores práticas, uma vez tendo como premissa limitar seu impacto no planeta, falando da produção de alimentos. Por isso, o McDonald’s é a primeira rede de serviço rápido a comprar carne ‘sustentável’, proveniente de regiões onde a pecuária é mais produtiva e requer menos espaço, desestimulando qualquer necessidade de desmatamento.

Seu fundador, Ray Kroc, defendeu em 1955 que, “Temos a obrigação de retribuir às comunidades onde operamos”, filosofia que é seguida globalmente pela empresa até hoje.

Com Assessoria

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes