Modelo mais preciso até hoje do coronavírus em 3D é criado; veja vídeo

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Um estúdio especializado em animações biomédicas criou o modelo mais preciso até o momento do Sars-Cov-2, o novo coroavírus, e lançou um vídeo que mostra as estruturas ampliadas do vírus que provoca a Covid-19 (assista abaixo).

O Sars-Cov-2 é tão microscópico que chega a ser mil vezes mais fino que um fio de cabelo humano, segundo o vídeo. Ele é considerado mais uma máquina molecular do que um organismo vivo.

As legendas que acompanham as imagens explicam (em inglês) como o novo coronavírus ataca as células hospedeiras do corpo das vítimas, usando-as para se multiplicar e as eliminando em seguida, e como o organismo humano reage para se defender.

Reprodução em 3D do modelo do novo coronavírus (Sars-CoV-2) criada pela Visual Science. Dentro do verde mais claro, as bolinhas vermelhas representam o 'centro' do vírus, o genoma de RNA; as bolinhas verdes são proteínas 'especiais', que protegem esse material genético. Ao redor do verde, o cinza mais fraco é a 'casca', feita de uma membrana retirada da célula hospedeira. O vermelho mais vivo são as proteínas 'matrizes' codificadas pelo vírus. As 'pontas' que saem do vírus são as 'lanças de proteínas', que o vírus usa para se conectar às células hospedeiras e infectá-las.  — Foto: Reprodução/Visual Science
Reprodução em 3D do modelo do novo coronavírus (Sars-CoV-2) criada pela Visual Science. Dentro do verde mais claro, as bolinhas vermelhas representam o ‘centro’ do vírus, o genoma de RNA; as bolinhas verdes são proteínas ‘especiais’, que protegem esse material genético. Ao redor do verde, o cinza mais fraco é a ‘casca’, feita de uma membrana retirada da célula hospedeira. O vermelho mais vivo são as proteínas ‘matrizes’ codificadas pelo vírus. As ‘pontas’ que saem do vírus são as ‘lanças de proteínas’, que o vírus usa para se conectar às células hospedeiras e infectá-las. (Fotos: Reprodução/Visual Science)

No modelo, a parte verde mais claro representa o “centro” do vírus. Ali dentro, as bolinhas vermelhas são o material genético do vírus (RNA). As bolinhas verdes são proteínas ‘especiais’, que protegem esse material genético.

Reprodução em 3D do modelo criado pela Visual Science do novo coronavírus. O cinza mais fraco é a 'casca', feita de uma membrana retirada da célula hospedeira (invadida).  — Foto: Reprodução/Visual Science
Reprodução em 3D do modelo criado pela Visual Science do novo coronavírus. O cinza mais fraco é a ‘casca’, feita de uma membrana retirada da célula hospedeira (invadida). (Foto: Reprodução/Visual Science)

Ao redor do verde, o cinza mais fraco é a ‘casca’, feita de uma membrana retirada da célula hospedeira (invadida). O vermelho mais vivo são as proteínas ‘matrizes’ codificadas pelo vírus. As ‘pontas’ que saem do vírus são as ‘lanças de proteínas’, que o vírus usa para se conectar às células hospedeiras e infectá-las.

Assim, segundo a explicação do estúdio autor do modelo, a Visual Science, é enfatizada a natureza parasitária e não autônoma dos vírus. Isso porque o vírus invade a célula e faz com que ela mesma produza as proteínas dele. Isso, no fim, faz com que a célula hospedeira morra.

Resposta do sistema imune

Reprodução do modelo em 3D criado pela Visual Science para ilustrar a resposta do sistema imune à infecção pelo novo coronavírus. As bolinhas brancas ao redor do vírus representam anticorpos protetores contra o vírus, que impedem que ele se una às células hospedeiras e as invada, além de atrair células do sistema imune que destroem o vírus. — Foto: Reprodução/YouTube Visual Science
Reprodução do modelo em 3D criado pela Visual Science para ilustrar a resposta do sistema imune à infecção pelo novo coronavírus. As bolinhas brancas ao redor do vírus representam anticorpos protetores contra o vírus, que impedem que ele se una às células hospedeiras e as invada, além de atrair células do sistema imune que destroem o vírus. (Foto: Reprodução/YouTube Visual Science)

O estúdio também simulou a resposta do corpo à infecção pelo vírus (imagem acima).

As bolinhas brancas ao redor do vírus representam anticorpos protetores contra a infecção. Eles impedem que o vírus se una às células hospedeiras e as invada, além de atrair células do sistema imune que destroem o vírus.

Modelos 3D

Modelo 3D do Sars-Cov-2, o novo coronavírus — Foto: Reprodução/Visual Science
Modelo 3D do Sars-Cov-2, o novo coronavírus (Foto: Reprodução/Visual Science)

Além de pesquisas científicas, os animadores se basearam em dados compartilhados por virologistas em um banco de dados mundial chamado Protein Data Bank. O estúdio Visual Science diz ter empregado as mesmas técnicas de bioinformática estrutural usadas nas pesquisas básicas e desenvolvimento de novas drogas.

A mesma empresa já desenvolveu antes modelos em 3D de outros vírus, como HIV, influenza A/H1N1, Ebola, papilloma e Zika, em um projeto sem fins lucrativos para auxiliar em estudos que possam ajudar na descoberta de tratamentos e da cura para as doenças que eles provocam.

Ver essa foto no Instagram

3D model of the SARS-CoV-2 with antibodies See more at vsci.me/sars-cov-2

Uma publicação compartilhada por Visual Science (@visualscience) em

Fonte: G1

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes