Homens não podem demorar muito para ter filhos, segundo pesquisa

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Atrasar a paternidade pode ter um impacto negativo na saúde tanto dos filhos quanto das mães, segundo uma nova pesquisa.

As mulheres são constantemente lembradas sobre seu relógio biológico e o riscos de ser mãe em uma idade mais avançada (após os 37 anos). No entanto, na maior parte das vezes, os homens não ouvem os mesmos alertas.

Apesar disso, um novo estudo, publicado no the BMJ, sugere que os homens que decidem se tornar pais mais tarde, também correm riscos.

A pesquisa revelou que bebês de pais mais velhos são mais suscetíveis a problemas de saúde incluindo risco de parto prematuro, baixo peso ao nascer e necessidade de cuidados especiais após o nascimento, como ventilação assistida, admissão na UTI neonatal, ou administração de antibióticos.

Além disso, as mulheres que engravidam de homens mais velhos também estão em risco, principalmente de desenvolver diabetes gestacional.

Para chegar aos resultados, os pesquisadores analisaram mais de 40 milhões de nascimentos entre 2007 e 2016 nos Estados Unidos.

Os pais foram divididos em cinco grupos, de acordo com a idade – menos de 25 anos, 25-34, 35-44, 45-54 e mais de 55 – e avaliaram indicadores da saúde dos bebês em cada uma destas categorias.

Levando em consideração a idade da mãe, a saúde dos pais e informações demográficas, os pesquisadores identificaram uma associação entre a idade paterna e a probabilidade de problemas de saúde tanto nas mães quanto nos bebês.

Os resultados revelaram que filhos de pais com 45 anos ou mais nasceram 0,12 semanas mais cedo, e apresentaram um risco 14% maior de parto prematuro (com menos de 37 semanas) em comparação com os pais da faixa etária entre 25 e 34 anos.

As crianças também nasceram com 20,2 gramas a menos e apresentaram um risco 14% maior de ter um baixo peso ao nascer (menos de 2,5kg) do que os bebês de pais mais jovens.

Os recém-nascidos também apresentaram um risco 14% maior de internação na UTI neonatal, e 18% maior de ter convulsões, em comparação com os filhos de pais com idades entre 25 e 34 anos.

As mulheres que engravidaram de homens com mais de 45 anos também apresentaram um risco 28% maior de desenvolver diabetes gestacional, comparadas com mulheres cujos parceiros tinham entre 25 e 34 anos.

A equipe destacou que, como o estudo foi observacional, não é possível tirar conclusões sólidas sobre causas e efeitos.

Os pesquisadores também ressaltaram que o risco geral de potenciais efeitos negativos nas mães e nos bebês ainda é incrivelmente baixo.

No entanto, eles acreditam que a nova pesquisa indica a importância de levar a idade do futuro pai em consideração.

“Um grande número destes efeitos negativos após o nascimento poderia ter sido prevenido se os pais mais velhos escolhessem ter filhos antes dos 45 anos,” escreveram os autores do estudo.

“Os riscos associados à idade paterna avançada devem ser incluídos em discussões sobre o planejamento familiar e aconselhamento reprodutivo”.

Os resultados do estudo condizem com as descobertas de outra pesquisa divulgada no ano passado, que revelou que os homens precisam ser mais conscientes de seu relógio biológico.

A pesquisa, realizada pelo Centro Médico Beth Israel Deaconess e pela Escola de Medicina de Harvard, em Boston, concluiu que a idade pode ter um impacto significativo nas chances de engravidar de um casal, e que a fertilidade masculina (contrária à crença popular), assim como a feminina, também tem um prazo de validade.

 

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes