Dicas eficientes te ajudam na organização da rotina das crianças

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

CRIANÇAS não encaram o DIA A DIA da mesma maneira que os adultos. Aliás, os CONCEITOS DE HORÁRIOS, prazos e obrigações SÃO MUITO LIMITADOS para elas, que passarão aENTENDÊ-LOS MELHOR conforme VÃO CRESCENDO. Por isso, cabe aos PAIS essa função de ADMINISTRAR O TEMPO dos pequenos, a fim de ele não vire apenas brincadeira, ou tenha muito peso na área da responsabilidade.

Mas COMO ORGANIZAR isso de maneira apropriada?

“ROTINA É SEMPRE IMPORTANTE. Principalmente na infância. Uma maneira eficiente de estabelecer isso é COMBINAR COM A CRIANÇA”, esclarece a psicóloga clínica Aretusa dos Passos Baechtold, do Instituto de Psicologia e Controle do Stress Marilda Lipp. Segundo a profissional, as CHANCES DE CUMPRIMENTO da agenda são MAIORES quando a conversa é acordada entre pais e filhos: “e ela pode escolher dentro do que é possível”, reforça, indicando que o bom senso deve servir como medida no diálogo, SEM EXCLUIR a meninada do PROCESSO DE DECISÃO.

Para Aretusa, é impossível criar um plano de rotina universal. “Varia muito de CASO PARA CASO”. Contudo, alguns passos podem servir como DIRECIONAMENTO para PLANEJAR uma prática prazerosa à qual o pimpolho se acostume, considerando o que é preciso fazer como atribuição.

Novo Liceu
Liceu Anglo Botucatu Rua General Telles, 3310 Lavapés (014)3882-2895 www.liceuanglo.com.br

CRIAR O HÁBITO

A profissional lembra que se leva em torno de 20 A 30 DIAS PARA SE ADAPTAR A UM NOVO HÁBITO. “No primeiro mês, será difícil para a criança ENTENDER A FUNÇÃO DO HORÁRIO”, ela coloca. Da mesma forma acontece com a escola, atividades físicas, cursos extracurriculares e quaisquer outras funções que sejam destinadas a elas.

MARCADORES AO LONGO DO DIA

Se você não sabe por onde começar, a etapa mais importante é FIXAR MARCADORES ao longo do dia, nos quais os seus FILHOS possam se BASEAR. Sendo assim, os momentos doBANHO, das PRINCIPAIS REFEIÇÕES e do SONO valem como REFERÊNCIA para a garotadaSOBRE O QUE VIRÁ ANTES OU DEPOIS DELES. Uma vez que a aplicação dos mesmos períodos for definida, ficará mais fácil de incluir quaisquer outras.

COMER, COMER… É O MELHOR PARA PODER CRESCER!

Para que o GANHO CALÓRICO seja PROPORCIONAL AO GASTO e não haja déficit com relação a isso, a profissional recomenda FRACIONAR AS REFEIÇÕES e sempre FAZER UM LANCHINHO COM OPÇÕES SAUDÁVEIS entre elas. É bom ficar de olho no consumo exagerado de açúcares e gorduras, a fim de evitar problemas com a obesidade infantil, tão em alta hoje em dia.

DORMIR NA HORA CERTA

Não adianta esbravejar ou fazer escândalo justo na HORA DE DORMIR, a PALAVRA FINAL TEM QUE SER DOS PAIS. Inclusive nos fins de semana, a criançada deve manter o mesmo comportamento. Aretusa ressalta que essas regras podem ter CERTA FLEXIBILIDADE DE MEIA HORA a mais para acordar e o mesmo para ir para a cama. CONSTÂNCIA é a palavra-chave no vocabulário dos pimpolhos – e, se for realmente necessário REAJUSTAR O CRONOGRAMA do sono DEPOIS de uma LONGA TEMPORADA, ela recomenda que se DIMINUA MEIA HORA A CADA SEMANA.

ENVOLVER OS CUIDADORES

Nem sempre os pais conseguem acompanhar toda a rotina dos filhos, por conta da vida profissional. AVÓS, tios, padrinhos e primos ou profisionais que venham a ter essaINCUMBÊNCIA, precisam estar atentos: “é necessário se certificar que eles ASSUMAM AS REGRAS E CONDIÇÕES ESTABELECIDAS, e tenham ciência de que exercem um PAPEL DISCIPLINADOR nesse momento, diferente de quando convivem com a criança esporadicamente”, afirma a profissional.

Para ela, é aconselhável ENVOLVER NA ORGANIZAÇÃO DA ROTINA DA CASA os que frequentemente ajudam na CRIAÇÃO da garotada (de babás a família): “Isso para que todos possam OPINAR E TAMBÉM ASSUMIR OS COMBINADOS, com o intuito de que o PLANEJAMENTO FUNCIONE. É importante que as informações sejam claras e precisas”. Nem que se anotem os TÓPICOS EM UM QUADRO e o pendure na cozinha ou qualquer outro ambiente, as regrinhas com relação à AGENDA NÃO PODE TER ESCAPES OU DESLIZES CONTÍNUOS – senão, a confusão se instala , especialmente na cabecinha de quem ainda precisa seguir as orientações dos mais velhos.

LIÇÃO DE CASA

“O ideal é que a criança tenha, nos dias da semana, um HORÁRIO PRÉ-DETERMINADO PARA OS ESTUDOS… Não precisa ser necessariamente num canto só dela. É importante que nesse momento, ela receba o MÍNIMO DE INFLUÊNCIA POSSÍVEL, como TV, jogos de videogame, computador”, salienta a especialista. Com relação à quantidade de tempo para isso, varia conforme a idade. Ela também sugere que essa etapa seja LOGO DEPOIS DA ESCOLA OU ANTES DO JANTAR; de qualquer modo, é primordial que isso seja ACERTADO COM A CRIANÇA. “Essa rotina vai fazendo com o que o CÉREBRO SE ADAPTE para, naquele horário, estar estudando”.

Aretusa reforça que cabe aos PAIS SISTEMATIZAREM ESSE INTERVALO, já que é importante evitar o tempo ocioso; como por exemplo, ao terminar tudo, deixar o material organizado para o dia seguinte, limpar o espaço, colocar os objetos no lugar novamente, entre outros. Caso ainda sobrem alguns minutinhos depois disso, COMPLEMENTÁ-LOS COM LEITURAS – tampouco vinculada aos estudos. Pode ser algo mais lúdico e prazeroso, ela aponta.

BRINCAR É BOM E TODO MUNDO GOSTA

“Muitos pais pensam: primeiro (o filho) vai fazer a obrigação e, depois, vai para o lazer”. Mas a psicóloga chama a atenção para não colocar, dentro do horário de recreação, aquilo que é uma responsabilidade e obrigação da criança. Ter cuidado para não selecionar justo os períodos em está passando o desenho favorito na TV, ou que o melhor amiguinho virá visitar. “É importante que ela aprenda que terá um momento na vida em que precisará parar, e se voltar para outras atividades”, Aretusa acentua. Sendo assim, cuidado para NÃO MINAR OS MOMENTOS DE DIVERSÃO E LAZER.

ATIVIDADES EXTRACURRICULARES NA PAUTA DO DIA

Hoje em dia é muito comum crianças fazerem várias ATIVIDADES ANTES OU DEPOIS DE ESTUDAR. “É importante que CADA OBJETIVO tenha uma LIGAÇÃO EMOCIONAL COM A CRIANÇA, faça sentido para a vida dela”.  Por conseguinte, os pais precisam ficar atentos ao fato de que essas questões NÃO SOBRECARREGUEM os filhos. A profissional conta que não há um volume máximo específico de ocupações a serem estipuladas – caso a programação esteja superlotada, o COMPORTAMENTO do pequeno obviamente SOFRERÁ UMA MUDANÇA: ele ficará mais delicado ou mais quietinho, apresentará posturas mais ansiosas ligadas ao cumprimento de tudo que lhe foi colocado – como roer unhas, comer muito rápido – e passará a agir de maneira diferente do que o usual. A intenção com afazeres adicionais éCONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO ao invés de prejudicá-lo.

MIMOS NA MEDIDA

É necessário lembrar que mesmo com uma rotina pré-estabelecida, é essencial buscar o EQUILÍBRIO ENTRE A PRESENÇA E RESPONSABILIDADE: ansiedade e cobrança excessivas por parte dos adultos não contribuem de maneira positiva para que a meninada passe a realizar, de maneira automática e natural, suas próprias obrigações e atribuições. Se algo sair dos conformes, basta sentar, bater um papo, avaliar, revisar e recombinar o que for preciso.

Fonte: Daquidali

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes