Brincadeiras divertidas desenvolvem o raciocínio e a coordenação motora

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Brincar vai muito além da diversão, também é um momento de aprendizado e desenvolvimento essencial na infância. E se o dinheiro está curto, saiba que uma boa sessão de brincadeiras é o melhor presente que o seu filho pode receber no DIA DAS CRIANÇAS. Descubra as atividades prazerosas que vão estimular o raciocínio, a coordenação motora e ainda ensinar lições valiosas para o seu pequeno.

DE 1 A 3 ANOS

ESCONDER

Essa fase é a da exploração, quando o bebê toca em tudo e começa a perceber melhor o mundo ao seu redor. Brincar de esconder pode ser muito divertido para ele, além de trazer vários benefícios. “Quando a criança já anda é interessante esconder um objeto e pedir que ela encontre. ISSO ESTIMULA A MARCHA, PORQUE ELA ESTÁ COMEÇANDO A SE MOVIMENTAR MELHOR, AGUÇA A CURIOSIDADE E É ALTAMENTE ESTIMULANTE. Além disso, fica muito feliz quando encontra. Esconda de maneira bem fácil para que ela precise pensar um pouco, mas consiga achar”, explica o pediatra SYLVIO RENAN MONTEIRO DE BARROS, autor do livro “Seu Bebê Em Perguntas e Respostas – Do Nascimento aos 12 Meses”.

BRINQUEDOS DE ENCAIXEBrinquedos de encaixe exploram a parte motora e cognitiva. Foto: Thinstock

Os brinquedos de encaixe e formas geométricas são ótimos para o raciocínio, e é bacana que você participe dessa atividade, já que nessa idade os pequenos são muito dependentes da figura dos pais para se divertir. “A CRIANÇA PODE EXPLORAR A PARTE MOTORA E COGNITIVA, TENTANDO ENCAIXAR E FAZER O MOVIMENTO, indo atrás das peças certas, além de ver a cor e o tamanho. Elas conseguem chegar a uma finalidade e desenvolvem a criatividade”, indica a psicóloga especialista em psicoterapia familiar RENATA MUNHOZ.

HISTÓRIAS

Ler para as crianças estimula o gosto por livros. Foto: Thinkstock

Que tal abrir um livro e contar uma história bonita para as crianças? Mesmo não sabendo ler, a atividade é um estímulo. “A LEITURA É FABULOSA PARA A CRIANÇA, E MESMO COM A MÃE LENDO ELA PASSA E SE INTERESSAR MAIS. E existem estudos que comprovam que isso as ajuda a se saírem melhor na vida profissional no futuro. Mostre os livros, acima de um ano você tem os de plástico, com figuras e texturas para que elas manuseiem, já que essa é a fase tátil”, aconselha Barros.

GUERRA DE TRAVESSEIRO

Guerra de travesseiros promove a interação com os adultos. Foto: Dejan Ristovski/iStock

Quer algo mais simples, e que mais arranque sorrisos, do que uma boa guerra de travesseiros? “É muito interessante e os pequenos gostam bastante, assim como rolar na cama. São exercícios altamente estimulantes nos quais VÃO TRABALHAR O CORPO E INTERAGIR COM OS ADULTOs. Acima dos três anos pode fazer, batendo fraquinho com o travesseiro”, aponta Barros.

DE 4 A 6 ANOS

BONECOS

Brincar com bonecos estimula a criatividade e dá pistas de como a criança enxerga a organização familiar. Foto: Cathy Yeulet/iStock

Os bonecos são boas apostas nessa fase, já que elas já tem mais facilidade em manusear objetos e precisam colocar a criatividade para fora. “Eles são muito legais, porque as crianças podem montar sua história. NÃO PRECISA SE IMPORTAR COM O SEXO, É BOM PARA MENINOS E MENINAS PORQUE ELES MONTAM SUA CONFIGURAÇÃO FAMILIAR ali dentro e colocam a organização dela e os papeis de cada um dentro desse contexto. Deixe que escolham qual é o seu boneco e a sua função dentro do enredo”, ensina Renata.

VIVO-MORTO E ESTÁTUA

Com a coordenação um pouco mais desenvolvida, é possível fazer as brincadeiras de morto-vivo e estátua. A primeira consiste em abaixar quando o “mestre” diz morto, e levantar quando diz vivo. Para a outra é só colocar uma música para tocar enquanto todos dançam, e ao parar cada um deve “congelar”: quem se mexer primeiro, perde. “SÃO BRINCADEIRAS RICAS PARA A COORDENAÇÃO MOTORA E TAMBÉM SÃO EXERCÍCIOS FÍSICOS. Elas aprendem a controlar melhor o corpo e os movimentos, e se divertem bastante”, garante o pediatra.

PEGA-PEGA

Pega-pega é um excelente exercício físico. Foto: JackF/iStock

Aos cinco ou seis anos já é possível migrar para brincadeiras que tenham maior interação e controle corporal, como o pega-pega, em que o escolhido para pegar os demais deve contar até 10 e então correr atrás dos outros. Quem for apanhado assume a posição. “As brincadeiras de contato agradam muito nessa fase, em que eles saem da exploração dos objetos e partem para a exploração do corpo. É ALGO MUITO ATIVO E QUE ENVOLVE TODA A PARTE MOTORA E DE PERCEPÇÃO DO OUTRO. Pode funcionar de dois a mais participantes”, informa Renata.

PASSA-ANEL

Uma atividade bem simples, mas gostosa de fazer em grupo. Uma pessoa deve colocar um anel escondido entre as duas mãos e ir passando nas mãos fechadas de cada criança, deixando cair discretamente. A cada rodada, um deve adivinhar com quem ficou o anel e, se acertar, toma o lugar de dar o objeto. “ACIMA DOS CINCO É MUITO BOM, É UMA BRINCADEIRA DE TOQUE, INTERAÇÃO, NO QUAL ELA ENTENDE OS LIMITES. Além disso, todos conseguem brincar, dos mais fortes aos mais fracos, o que não traz conflitos”, diz Barros.

AMARELINHA

Amarelinha desenvolve a coordenação motora e a familiarização com números. Foto: misfire_asia/iStock

O pediatra conta que a amarelinha é ótima para a coordenação, já que é preciso mesclar os movimentos com um e dois pés no chão, e ainda TRAZ A POSSIBILIDADE DE FAMILIARIZAÇÃO COM OS NÚMEROS. Para montar a amarelinha, pegue um giz e faça no chão vários quadradinhos, que deverão ser intercalados com um e dois espaços, começando no número um e terminando no 10. Lembre-se de pintar o céu e o inferno, onde a criança não deve pisar. Com uma pedrinha, basta jogar nos números e pegá-la no caminho.

A PARTIR DOS 7

JOGOS DE TABULEIROJogos de tabuleiro são educativos e rendem boa diversão. Foto: Monkey Business

Que tal propor um jogo de tabuleiro com toda a família? “Eles FAZEM AS CRIANÇAS ENTENDEREM QUE EXISTEM REGRAS, PROMOVEM A INTERAÇÃO, O ENTENDIMENTO DO GANHAR E DO PERDER E O RESPEITO À VEZ DO OUTRO. Independentemente do tema, você está ensinando a interação social com respeito, em uma fase que é de questionar as regras e ‘nãos’ e testar o limite dos cuidadores”, conta Renata.

DANÇA DA CADEIRA

“Ela promove atenção e agilidade, que são requisitos básicos para conseguir brincar. A ATIVIDADE ENSINA A LIDAR COM A FRUSTRAÇÃO, já que quem fica sem cadeira está fora do jogo”, fala Barros.  Reúna as crianças e disponha uma cadeira a menos que o total de participantes. Coloque-as em círculos, uma de costas para a outra, e ligue a música. Quando parar o som, todos devem sentar rapidamente, aquele que ficou sem um lugar sai. A brincadeira progride até que dois participantes disputem a última cadeira.

 PIQUE-BANDEIRA E QUEIMADA

Tem um jardim? Jogos divertidos e muito ativos, o pique-bandeira e a queimada são bastante apreciados nessa idade, em que os pequenos gostam de correr e tem muita energia para gastar. “São as principais atividades que eles têm na escola e ESTIMULAM O CONTATO E A COMPREENSÃO DAS REGRAS, DO FÍSICO E DA COORDENAÇÃO MOTORA, além da pontaria”, conta a psicóloga.

Fonte: Daquidali

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes