Adegas de vinho em casa: tudo que você precisa saber

Veja como armazenar e escolher o lugar ideal para guardar os seu

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

O mercado de vinhos está crescendo no Brasil. Cada dia, mais brasileiros estão interessados em assuntos relacionados a essa bebida. Entre outras questões, muitos se perguntam sobre quais são os tipos existentes, como harmonizá-lo com as refeições e qual seria a origem de determinado rótulo.

Para os amantes da bebida, ter uma adega em casa pode ser uma boa ideia. Dessa forma, fica mais fácil guardar os diferentes tipos de vinho e ter sempre uma boa opção para oferecer às visitas. Para que os rótulos mantenham a qualidade, algumas atitudes devem ser tomadas, como refrigerar o ambiente.

Aprenda a armazenar vinho corretamente

Fatores como temperatura, umidade e luz solar podem influenciar a qualidade do vinho e mudar as características dele. O melhor lugar para armazená-lo é em uma adega climatizada. 

Entretanto, nem todas as casas e os apartamentos possuem um espaço disponível para isso. Nesses casos, um local arejado e longe dos raios de Sol já é uma boa escolha. Além disso, a garrafa de vinho deve ser guardada na horizontal, para que o líquido se mantenha em contato com a rolha.

Os vinhos tintos devem permanecer em ambientes com temperatura entre 16 e 18ºC. O ideal é que espumantes, vinhos brancos e rosés sejam guardados em uma temperatura mais baixa, cerca de 6ºC. Se isso não for possível, eles podem ser armazenados junto aos tintos.

No entanto, lembre-se: antes de abrir, eles devem ficar uma hora na geladeira. Depois de abertos, devem ser mantidos em um balde com gelo.

Outro ponto importante está relacionado à claridade. Os vinhos não gostam de Sol e, ao serem expostos a ele, pode acontecer o chamado “defeito de luz”. Como consequência, o aroma, o gosto e o aspecto visual possuem chances de alteração. Os vinhos tintos ficam mais claros, e os brancos, com um aspecto amarelado.

Veja o que não fazer 

Além de saber como armazenar os vinhos corretamente, é necessário entender o que não fazer nesse momento. As bebidas não devem ficar em locais com vibrações, que balancem ou que não sejam firmes de alguma forma.

Como falamos anteriormente, o local de armazenamento precisa ser arejado. Portanto, lugares quentes, como os armários, as áreas externas, a cozinha ou perto do forno, não são indicados. Os rótulos também não devem permanecer em áreas com Sol ou grande luminosidade.

Para quem tem adega, é importante ressaltar que, se houver água escorrendo na parede, ela não pode acumular. Com o tempo, os rótulos podem embolorar, e o excesso de umidade pode afetar a qualidade do vinho

O vinho não deve permanecer aberto por muito tempo, mesmo que esteja dentro da geladeira. Isso porque há uma reação química de oxidação que transforma o ácido cítrico, natural da bebida, em acético, ou seja, vinagre. Mesmo quando o rótulo é armazenado no refrigerador, esse processo continua.

Nesses casos, algumas atitudes podem ser tomadas. Há um processo que tira o oxigênio da garrafa, por exemplo. Outra dica é colocar o vinho em um recipiente menor, sem espaço para o oxigênio. Independentemente da opção escolhida, a bebida deve seguir para a geladeira posteriormente.

Encontre um espaço para sua adega

Uma adega não precisa ocupar um espaço grande. Prova disso são os modelos elétricos que fornecem a temperatura indicada para o armazenamento dos vinhos e são facilmente encaixados na decoração.

Seguindo esse modelo, há as opções de madeira, que combinam com um ambiente mais rústico. Além disso, é possível reutilizar os espaços da casa, como um quartinho, e adaptá-lo às características de uma adega.

Alguns lugares da residência também costumam ser funcionais. A parede da sala de jantar pode ser adaptada para armazenar os vinhos. Espaços embaixo de escadas também são pouco utilizados e podem ser reaproveitados de maneira estratégica. Assim, além de bem cuidados, os vinhos farão parte da decoração.

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes