São Paulo bate o Figueirense e faz as pazes com a torcida; veja os gols

AdSense Postagem 01

Postagem Única 01 Mobile

Enfim, a angústia do são-paulino teve uma trégua. Na ensolarada manhã deste domingo, o Tricolor acabou com o jejum de dois meses no estádio do Morumbi e pôs fim ao também a série de seis jogos sem vitória com um contundente 3 a 1 em cima do Figueirense, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os três pontos afastam a equipe de Ricardo Gomes, que alcança sua primeira vitória depois de cinco jogos a frente do time, e mantêm os catarinenses dentro do pelotão que pode jogar a Série B em 2017.

É fato que o São Paulo já não tem condições de brigar por título, como gostaria, mas o torcedor saiu de alma lavada do Cícero Pompeu de Toledo neste domingo. A empolgação das arquibancadas contagiou os jogadores, que exercem muita pressão sobre o adversário desde os minutos iniciais. O primeiro tempo foi um massacre com direito a duas bolas na trave, uma contra e outra de Cueva, e três defesas espetaculares de Gatito. Na única vez que chegou à área são-paulina, o frio na barriga bateu com a cabeçada de Werley, mas Denis provou que vive grande fase e salvou o time.

O prêmio veio aos 30 minutos, quando Chavez aproveitou cobrança de escanteio de Kelvin e balançou as redes. Gol de quem procurou o ataque o tempo todo e a sensação já era de que nada poderia atrapalhar o plano do São Paulo desta vez.

Apesar dos mandantes não terem voltado para o segundo tempo com o mesmo ímpeto, a tentativa de mudança de postura do Figueira esteve longe de assustar e caiu por terra aos 19 minutos por causa de um lance polêmico. Isso porque o árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva viu pênalti de Bruno Alves após finalização de Thiago Mendes. Para o dono do apito, a bola foi desviada com o braço. Independente de qualquer discussão, Cueva precisou aproveitar o próprio rebote para aumentar a vantagem.

O gol voltou a deixar o estádio eufórico e o clima de festa só aumentou aos 27, quando Kelvin foi mortal no contra-ataque e acabou com seu jejum pessoal de cinco meses sem marcar um gol. Desde 10 de julho, quando Alan Kardec fez dois na vitória sobre o América-MG, um jogador brasileiro não balançava as redes pelo São Paulo.

Ainda deu tempo para Carlos Alberto diminuir em cobrança de pênalti depois de Maicon também interceptar a bola com o braço, mas nada poderia enfriar a euforia dos tricolores, que parecem ter recuperado não só o caminho das vitórias como a sinergia entre time e torcida.

Para comprovar a reação, o São Paulo, agora com 31 pontos, volta a campo na quinta-feira, quando recebe o Cruzeiro de novo no Morumbi, às 21 horas. Um dia antes, o Figueirense, estacionado nos 27 pontos, encara o América-MG, às 19h30, no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis.

FICHA TÉCNICA – SÃO PAULO 3 X 0 FIGUEIRENSE

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 11 de setembro de 2016 (Domingo)
Horário: 11h00 (horário de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA-FIFA)
Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA-FIFA) e Helcio Araujo Neves (PA-CBF-1)
Cartões amarelos: SÃO PAULO: Thiago Mendes, Kelvin. FIGUEIRENSE: Dodô, Jefferson.
Público: 27.365 pessoas
Renda: R$ 688.491,00

GOLS:
SÃO PAULO: Andres Chavez, aos 30 do 1T. Cueva, aos 20, e Kelvin, aos 27 do 2T
FIGUEIRENSE: Carlos Alberto, aos 41 do 2T.

SÃO PAULO: Denis; Julio Buffarini, Maicon, Lyanco e Matheus Reis; Hudson, Thiago Mendes, Wesley e Cueva (Daniel); Kelvin (Robson) e Andres Chavez
Técnico: Ricardo Gomes

FIGUEIRENSE: Gatito Fernández; Ayrton, Bruno Alves, Werley e Marquinhos Pedroso; Jackson Caucaia, Ferrugem (Rafael Silva), Jefferson, Carlos Alberto e Lins (Emem); Dodô (Elvis)
Técnico: Tuca Guimarães

Fonte: Yahoo!

Postagem Única 02 Mobile

Anunciantes